Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Arriba

7 dicas para cuidar do cérebro

7 dicas para cuidar do cérebro

Nosso cérebro é uma máquina perfeita composta por neurônios e células da glia. Nele, é armazenado nosso tesouro precioso de experiências e memórias que formam o que nós somos, uma arca fascinante em que o ato de introduzir novos conhecimentos a cada dia exercita a máquina e lubrifica ainda mais os motores.


Cuidar de nosso cérebro requer conhecimento de uma série de dicas que devem ser aplicadas dia a dia, como hábitos alimentares e comportamentais que irão permitir que a nossa massa cinzenta desfrute de um bom estado prevenindo ou atrasando, pelo menos, algumas doenças.

Nosso estilo de vida, em certas ocasiões, pode causar doenças que poderiam ser evitadas: o estresse, a hipertensão, o colesterol, a obesidade, entre outras. Estas aflições geralmente levam a acidentes neurovasculares, às vezes, criam uma simples dor de cabeça, originada de um dia carregado de estresse e ansiedade. 

Além destas habituais preocupações, apontamos outros menores problemas, como pequenos esquecimentos, aquela sensação de “ter algo na ponta da língua” e não lembrar. Estas pequenas coisas podem ser melhoradas se tentarmos melhorar nossa reserva cognitiva, nossas estratégias mentais. Que tal tomarmos nota?

 

Dicas para cuidar do cérebro

 

1. Cuidar da reserva cognitiva

 

familia

 

Tudo o que vivemos, experimentamos e inclusive sofremos forma parte de nosso “armazém cerebral”, são lembranças que contribuem para nosso crescimento e um lugar para buscarmos memórias, emoções, onde aprendemos a tomar decisões baseados em tudo que vivemos.

É o que chamamos de reserva cognitiva. A maior reserva e a maior proteção contra o envelhecimento prematuro, pois toda essa reserva forma novas conexões cerebrais que fortalecem nossa massa neuronal, e quanto mais conexões, mais tecidos novos, logo, maior proteção contra possíveis doenças. Daí a importância de experimentar, de aprender coisas novas a cada dia.

 

2. Cuidar da alimentação

 

Nueces

 

O cérebro é um órgão que requer muita energia, de fato, somente ele utiliza 20 a 30% das calorias que ingerimos. Mas, devemos evitar consumir muitas gorduras, e ainda menos alimentos industrializados, pois eles dificultam a longo prazo a saúde cerebral. Os nutricionistas recomendam os seguintes elementos químicos, que podem ser encontrados nos seguintes alimentos:

 

  • Triptofano: elemento básico para a aprendizagem. É encontrado em alimentos como peixes, ovos, frutos secos, banana, abacaxi e abacate.
  • Colina: a soja e o ovo são ricos nestes elementos. Essenciais para a transmissão dos impulsos nervosos para os músculos.
  •  L-glutamina: serve para construir o ácido gamma-aminobutírico (GABA) no cérebro, ajuda a ter bom humor. É encontrada nas sementes de gergelim e girassol.
  • Flavonoides:  elementos básicos para sinapse dos neurônios, reduzem o envelhecimento neuronal e melhoram a memória. Podem ser encontrado nos feijões, no chocolate e no vinho tinto.
  •  Ácido alfa lipóico: essencial também para os neurônios, combate o estresse e neutraliza os radicais livres. É encontrado nos vegetais verdes, como o espinafre, o alface, a couve e o brócolis.
  • Vitamina E: é essencial, pois ajuda na atividade neuronal e previne a oxidação das membranas neuronais. A vitamina pode ser encontrada no curry, aspargos, abacate, nozes, azeitonas e azeite de oliva.

 

3. Atividade física

 

Muito recomendada. Existem estudos que dizem que o exercício físico previne ou atrasa doenças como o Alzheimer ou o Parkinson. Basta caminhar uma hora por dia, andar de bicicleta, fazer natação ou realizar qualquer atividade diariamente para melhorar a conexão de nossos neurônios.

 

4. Manejar melhor as emoções

 

educar-emocoes

 

Você quer saber qual é um dos piores inimigos da saúde cerebral? O estresse. Nosso estilo de vida, nossas obrigações diárias, a pressão, a ansiedade, nos enchem de toxinas e bloqueiam o bom funcionamento do cérebro, os tecidos se oxidam e a longo prazo o cérebro envelhece prematuramente.

Logo, é importante levar a vida com calma, priorizar os pensamentos positivos, ver as coisas sob uma perspectiva mais tranquila em que somos mais valorizados, em que também priorizamos nossa saúde física e mental.

 

5. Socialização

       

Dispor de uma boa socialização, na qual amigos e familiares estão ao nosso redor, contribuindo com experiências, diálogo, apoio, estímulos, expectativas, projetos, faz com que nosso interesse pela vida seja maior. Quando nosso cérebro “se nutre” desses outros alimentos, nossa arca se torna cheia de experiências, nossa reserva fica mais forte e poderosa, o que mantém nosso cérebro jovem e em forma.

 

6. Descansar pelo menos 7 a 8 horas

        

gatos-dormir

 

O descanso é fundamental para o corpo e para o cérebro, e mais, este último é o que mais necessita para realizar suas tarefas, como organizar lembranças, experiências, armazenar, catalogar e ordenar. O cérebro é muito ativo durante à noite, mas somente terminará suas funções se tivermos um bom descanso.

 

7. Estimulação cognitiva

 

Além do exercício físico, nosso cérebro requer sua própria atividade e seus próprios desafios diários, pequenos desafios para mantê-lo jovem e funcionando normalmente para as necessidades da cada dia.

Que tal se jogarmos uma partida de xadrez com um amigo ou familiar? Realizarmos palavras-cruzadas ou sudokus? Lermos um livro? E que tal fazermos um diário pessoal e refletirmos sobre todas nossas experiências do dia? São pequenos atos e pequenos desafios que alimentam nosso cérebro. Não vamos deixar de fazê-lo.