10 Sinais do supercrescimento bacteriano no intestino - Melhor Com Saúde

10 Sinais do supercrescimento bacteriano no intestino

supercrescimento bacteriano

O supercrescimento bacteriano do intestino delgado, também conhecido como SBID, é uma condição na qual é identificado um número excessivamente alto de bactérias nesta parte do trato gastrointestinal.

O intestino delgado é uma parte do sistema digestivo que se conecta com o estômago, e tem como função digerir os alimentos e absorver seus nutrientes. Normalmente, ele contém poucas bactérias quando comparado com o intestino grosso, além de ser um tipo de bactéria diferente.

Quando ocorre o SBID, o intestino delgado fica repleto de bactérias mais parecidas com as que habitam no intestino grosso, em uma quantidade exagerada que não faz bem para a saúde.

O que causa o supercrescimento bacteriano?

Em um cenário normal, o estômago recebe o alimento e o mistura com os ácidos gástricos e sucos digestivos, depois o transporta até o intestino delgado onde os nutrientes são absorvidos pelo organismo, e o que sobra é enviado ao intestino grosso, onde a água será absorvida e as fezes serão formadas.

Doenças neurológicas e musculares, como a diabetes mellitus, inflamações no pâncreas e a esclerodermia podem prejudicar esta atividade do sistema gastrointestinal, fazendo com que mais bactérias se mantenham no intestino delgado.

Obstruções físicas, como as decorrentes de cirurgias bariátricas ou da doença de Crohn, também podem fazer com que as bactérias se acumulem.

A diverticulite é outra doença que pode causar o supercrescimento bacteriano. Ela é caracterizada por pequenas bolsas salientes nas paredes do intestino, que podem coletar as bactérias e mantê-las no intestino delgado, ao invés de enviá-las ao intestino grosso.

Alguns antibióticos também podem alterar a flora intestinal e contribuir para o problema, assim como uma alimentação rica em açúcar, carboidratos refinados e álcool.

Bacterias

Quais são os sintomas do supercrescimento bacteriano?

Agora que já sabemos do que se trata, vamos listar os sintomas do supercrescimento bacteriano. O paciente não necessariamente irá sentir todos eles, mas se aparecer somente um ou dois esporadicamente também não significa que o SBID tenha se desenvolvido.

Fique atento, e se estiver sentindo mais de um dos sintomas de forma contínua e persistente, consulte um médico para obter um diagnóstico confiável. Há testes simples que podem identificar a doença, portanto não ignore os sintomas a fim de não permitir que ela evolua para algo mais sério.

Estes são os 10 principais sintomas associados ao SBID:

  • Flatulência e gases em excesso
  • Distensão abdominal, representada por um inchaço exagerado, incômodo e contínuo na região do abdômen
  • Diarreia crônica
  • Prisão de ventre, que costuma ocorrer com menos frequência que a diarreia
  • Desconforto, cólicas e dores abdominais fortes e constantes
  • Diagnóstico de outras doenças relacionadas ao trato intestinal, como a síndrome do intestino irritável ou inflamações intestinais em geral
  • Intolerância a alguns nutrientes, como glúten, caseína, lactose ou frutose
  • Má absorção de gorduras pelo organismo. Por causa deste sintoma, as gorduras acabam sendo eliminadas junto com as fezes, tornando-as mais pegajosas
  • Deficiência de vitaminas e minerais, principalmente de vitamina B12, já que o intestino delgado não está conseguindo absorvê-las corretamente
  • Doenças crônicas como a fibromialgia, diabetes, doenças autoimunes, distúrbios neuromusculares e síndrome da fadiga crônica

Quando o supercrescimento é severo e prolongado, pacientes podem sofrer também com a perda de peso, já que os nutrientes não estão sendo absorvidos pelo corpo. Outra doença que pode surgir em decorrência da SBID é a anemia, devido à deficiência de ferro, que deveria ser absorvido pelo intestino delgado.

Em alguns casos, os pacientes também podem sentir dores no corpo e cansaço exagerado.

intestino

Tratamento do supercrescimento bacteriano

O tratamento geralmente inclui probióticos, antibióticos, ou uma combinação de ambos, para controlar e eliminar os sintomas e as bactérias em excesso, por um período que pode variar entre uma e duas semanas.

Lembrando que a ideia não é erradicar todas as bactérias, mas sim retornar sua quantidade ao nível normal necessário para o bom funcionamento do processo digestivo.

Como falamos anteriormente, o SBID pode estar associado a várias outras doenças, portanto é importante tratá-las também para que a mesma situação não ocorra novamente. Lembrando que devemos sempre evitar a automedicação e consultar um médico antes de tomar qualquer tipo de remédio.

Para prevenir condições como esta e outras que ocorrem no trato gastrointestinal, devemos manter sempre uma dieta saudável, rica em frutas e vegetais, e evitar o consumo de álcool, açúcar e carboidratos refinados.