3 dicas para educar seu filho adolescente - Melhor Com Saúde

3 dicas para educar seu filho adolescente

Em muitos casos não é fácil. Educar um filho adolescente requer muita paciência e inteligência emocional, temos que saber passar valores e limites adequados onde possam crescer com maturidade e responsabilidade, explicaremos como, a seguir.

Conselhos para educar nossos filhos adolescentes

adolescentes-500x333

1. Oferecer novos direitos, mas também deveres

Normalmente, as meninas são sempre mais precoces e são elas que, com 11 ou 12 anos, começam a exigir mais. Os meninos demoram um pouco mais para amadurecer. Geralmente é na idade de 13 anos quando de repente, e sem sabermos como, se tornam mais teimosos, orgulhosos e apresentam reações que não entendemos.

Estão crescendo e adentrando no mundo dos adultos ainda com mentalidade infantil. E não é fácil. Pense que eles estão em um pequeno caos hormonal e pessoal no qual terão que se definir.

Necessitam oportunidades de aprendizado, exigem mais direitos e liberdades sem ver com objetividade se suas ações apresentam riscos ou não.

O melhor que podemos fazer é manter um equilíbrio em relação ao assunto “direitos-deveres”. Podemos permitir que eles saiam no final de semana, sempre e quando tiverem feito a lição da escola. É importante também voltarem para casa no horário estabelecido e, no caso de chegarem mais tarde, devem perder os privilégios.

O importante é que todo adolescente aprenda que a vida está cheia de normas e exigências, assim como para os adultos, e isso precisam entender desde cedo. As coisas “não caem do céu”, os adultos trabalham para obter dinheiro com o qual nos alimentamos, nos vestimos, vivemos.

Devemos exigir aos adolescentes responsabilidade nos estudos e nas ações. Lembre-se também que se você estabelecer normas, deverá mantê-las e ser firme. Não deixe passar uma coisa um dia e no outro não, pois perderá o respeito.

2. Educar positivamente: antes “o reforço” do que a punição

Existem pais e mães que cometem o erro de punir continuamente seus filhos adolescentes com repreensões, discussões, comentários negativos, como por exemplo: seu filho reprovou um exame ou chegou com  notas baixas da escola o critica com comentários do tipo: “Você é preguiçoso, nunca será ninguém na vida”. Temos que manter um equilíbrio.

Não podemos fazer isso porque assim despertaremos neles sentimentos negativos, vulnerabilidade e baixa autoestima. Pergunte ao seu filho o que aconteceu e transmita confiança, diga que você confia nele e que sabe que irá passar na prova porque tem a capacidade suficiente para isso.

Quando cometerem um erro, ensine a forma de melhorar, mas não puna, não critique. Ofereça estratégias e confiança no lugar de repreensão. É o melhor.

3. Uma boa comunicação e incentivar a confiança

Busque sempre um momento do dia para estar com seu filho adolescente e conversar. Não o julgue pelo que fez ou deixou de fazer. Como pais devemos ORIENTAR, e isso é obtido mediante um diálogo constante e confiança.

Evite que seu filho adolescente esteja sempre fechado em seu quarto, diante do computador, com sua música; que seja aquele que somente sai para comer ou ficar com os amigos. Evite seu isolamento, incentivando-o a fazer atividades juntos em casa, desde criança.

Na hora de comer, desligue a televisão e conversem. Pergunte sobre seus gostos, suas amizades ou aquela pessoa pela qual sente atração. Anime o seu filho a compartilhar coisas com você tranquilamente.

O ideal é que saibam que podem contar com você e que você não é um inimigo que somente sanciona ou critica sem ajudar.

Escute, oriente, seja um pai, uma mãe e também um amigo. Estabeleça limites no momento certo e ofereça direitos quando seu filho demonstre maturidade e responsabilidade para respeitá-los.

adolescentes_y_felicidad

Para concluir, sabemos que educar filhos adolescentes não é fácil, que nenhum de nós dispõe de um manual perfeito. No entanto, garantimos que com otimismo, amor e vontade, podemos formar pessoas maduras e responsáveis, capazes de serem independentes em sua vida.

Pessoas felizes que sabem que para conseguir as coisas devem se esforçar, que para ter bons amigos e um relacionamento têm que saber respeitar e entender. A Inteligência Emocional é sempre uma boa perspectiva na qual podemos nos basear.

Concluímos dizendo algo também importante: é necessário que tanto o pai quanto a mãe concordem na educação dos filhos. Mesmos valores e mesmos propósitos.