4 erros frequentes em nossos relacionamentos amorosos

4 erros frequentes em nossos relacionamentos amorosos

Ainda que cada pessoa expresse o seu amor de uma forma, o carinho não é demonstrado somente com palavras

Ao longo da nossa vida aprendemos a nos conhecer melhor. Também aprendemos com nossos próprios erros e a controlar as barreiras que interferem em nossos relacionamentos e com a nossa felicidade.

Em certos momentos, não fáceis de reconhecer atuamos de um modo pouco saudável e no lugar de trazer apreço, carinho e respeito, oferecemos desconfiança e infelicidade. Hoje, aqui neste artigo, fazemos uma pequena revisão destes pequenos erros que criam distâncias entre os casais.

1. Amar não é somente dizer “te amo”

Relacionamentos amorosos

Certamente você já viveu situações com um “te amo” todos os dias no entanto, mesmo que possa ser reconfortante, não interprete unicamente as palavras como forma de carinho, as ações também funcionam como demonstrações de amor.

  • Cada pessoa transmite seu amor de uma forma. Existem aqueles que são mais expressivos, enquanto que outros, são mais retraídos e mostram seu afeto de outras maneiras que devemos saber compreender. Porém, não se engane, mesmo que se expressem menos não que dizer que amem menos. Valorize também outros aspectos.
  • Existem homens e mulheres que esperam demonstrações de carinho quase a cada instante: beijos, abraços, carícias. Mas entenda que nem todos sentem as mesmas necessidades e nem por isso significa que amem menos.
  • O amor também é expressado pelo olhar, pelo estar presente quando necessário. Naquele sorriso diário, no apoio incondicional e na admiração. Está claro que, talvez queiramos que nosso parceiro seja um pouco mais “expressivo” e que nos diga com frequência que nos quer. Mas, o que na verdade importa é que, quando ele o faça, mesmo que poucas vezes, percebamos nele/nela uma sinceridade absoluta.
  • Analise uma pessoa pelos seus atos e não somente pelas suas palavras. As palavras podem cair na “mentira” ou podem ser exageradas. Dito de outra forma, é mais fácil mentir com as palavras do que com ações. Valorize como o tratam, como cuidam de você, o respeitam. Aí está o amor verdadeiro.
  • Se você é daquelas pessoas que de verdade precisam dessa expressividade cotidiana e percebe que a outra pessoa “demonstra menos do que voê espera”, fale com ela. Expresse suas necessidades.

2. Amar não significa dar tudo em troca de nada

Relacionamentos de casais

Este é um erro em que muitas pessoas caem. Pensam que amar seu parceiro significa dar tudo, oferecer tudo para o outro de um modo incondicional e sem limites. Mas tenha cuidado:

  • Temos que amar com sabedoria e equilíbrio. Eu me ofereço livremente para a outra pessoa sabendo que vamos formar “um time”. Você me oferece, me enriquece e eu retribuo, ambos com maturidade e individualidade, formamos um só ser, crescendo todos os dias.
  • Se você dá tudo para a outra pessoa, chegará um dia em que se sentirá vazio e frustrado. Vai perceber que, sem saber como, levantou um muro ao seu redor onde estará cercado e não conseguirá fugir.
  • Esperar que a outra pessoa também faça coisas por você não é ser egoísta. Afinal, ser um casal consiste em cuidar um do outro para tentar ser feliz.

3. Se algo me incomoda, me calo e espero que a outra pessoa perceba seu próprio erro

Tristeza nos relacionamentos

As pessoas não são adivinhas. Um erro que cometemos com frequência é pensar que o nosso parceiro vai notar o que nos machuca ou incomoda.

Por isso, em certos momentos, muitas pessoas em vez de expressar em voz alta aquilo que as preocupa ou incomoda, optam por guardar silêncio e ignorar o parceiro, com a finalidade de chamar sua atenção e castigá-lo silenciosamente.

É uma estratégia muito imatura. Se algo machucar você, não guarde para si e nem agrida a outra pessoa porque, ao final, cairá em um círculo vicioso de aborrecimentos que não terá sentido.

Se algo o preocupa, expresse. Se algo o machucou, diga em voz alta. Se precisar de alguma coisa, peça, pois deve conseguir uma convivência onde exista o diálogo e acordos com seu parceiro, não um campo de batalha.

4. Não construa “todo o seu universo” ao redor de seu companheiro

Não deposite todas esperanças somente em seu relacionamento

Imagine, por exemplo, que começamos um relacionamento sendo muito jovens. Centramos todo nosso mundo nessa pessoa. O que está bem, sem dúvidas, pois é a pessoa escolhida e como tal, construiremos uma vida com ela.

Mas também considere os seguintes aspectos:

  • Devemos seguir crescendo individualmente. Isso significa que todos os dias devemos seguir aprendendo, experimentando. Não descuide dos estudos, das amizades, do trabalho.
  • Um relacionamento amoroso é algo muito importante. Mas as outras esferas de nossa vida também são, tais como uma formação, um círculo social e também nosso espaço pessoal. Tudo isso nos permite enriquecer como pessoas. Esse enriquecimento nos oferece autoestima e mais segurança.
  • Uma pessoa com mais autoestima e segurança traz mais felicidade para o parceiro. Traz maturidade. Se nos centrarmos exclusivamente em nosso companheiro e descuidamos de nosso crescimento profissional ou pessoal chegará um momento no qual ficaremos frustrados e inclusive, culparemos nosso parceiro desta infelicidade.

Cresça como pessoa e cresça como casal. Desse modo encontrará a verdadeira felicidade, sem barreiras na sua vida. Vale a pena.