5 chaves que demonstram que você possui uma inteligência intuitiva - Melhor com Saúde

5 chaves que demonstram que você possui uma inteligência intuitiva

Ao contrário do que muita gente pensa, a inteligência intuitiva pode ser aprendida e nosso subconsciente e nossas vivências passadas nos ajudarão a fazer uso melhor dela.
5 chaves que demonstram que você possui uma inteligência intuitiva

A inteligência intuitiva é atual.

Fica longe o peso desse enfoque racional baseado em uma análise lógica e analítica de nossa realidade que, geralmente, é quantificada através do coeficiente intelectual.

Hoje falamos de inteligências múltiplas. Cada pessoa é hábil em uma ou várias dimensões, e é aí onde está nossa grandeza e, por sua vez, nosso poder de triunfar na vida.

Agora, autores como Howard Gardner falam da importância da intuição humana. Ao invés de ver esta dimensão como algo pouco científico, falamos de um conceito realmente valioso.

Porque quem atende sua intuição consegue se conectar com seu ser autêntico, com sua experiência prévia, com suas emoções e com esse “sexto sentido” que nos convida a dar respostas mais criativas em nossos entornos.

A seguir, vamos propor um desafio aos leitores. Ofereceremos 5 chaves que podem ser demonstradas se você aplica em seu dia a dia a inteligência intuitiva, em contrapartida a esse enfoque mais lógico, mais racional.

1. A inteligência intuitiva atende e compreende as emoções

mulher-com-borboleta-nas-maos

Albert Einstein costumava dizer que a única coisa realmente valiosa é a intuição. Esses pensamentos que nos chegam do mundo inconsciente ao consciente são como um presente do cérebro. E claro, não respondem a algo fortuito.

  • São o reflexo dessa pessoa que sabe conectar com perfeição seu mundo emocional, o da experiência e o de seu sexto sentido.

Agora, o tema das emoções é, sem dúvidas, um aspecto fundamental. Compreender aquilo que nos preocupa, que nos bloqueia, que nos irrita ou nos emociona nos proporciona um conhecimento pleno e autêntico sobre nós mesmos.

  • É muito difícil que quem não conhece a si mesmo gere ideias criativas ou tome decisões acertadas de acordo com suas necessidades.

A verdadeira intuição chega a partir da autoconfiança. Só quando estamos em pleno equilíbrio com o que somos e o que sentimos é que aplicamos no dia a dia uma autêntica inteligência intuitiva.

2. Confie em seus palpites

Esclareçamos, em primeiro lugar, um aspecto importante. Um palpite não é mágica, não é premonição e nem uma voz espiritual nos dando um conselho.

  • Um palpite é a voz de nosso inconsciente. É uma resposta rápida a um momento pontual onde precisamos reagir.
  • Quando temos um pressentimento não é mais do que esse mundo inconsciente se tornando consciente para nos ajudar.

Para entender isso melhor, colocamos um exemplo:

  • Você conhece uma pessoa, mas um palpite lhe diz que é melhor evitá-la. Não iniciar uma amizade e menos ainda uma relação. Por que sentimos isso? Temos que dar importância?

Quando nossa mente acende para este tipo de sensação, é a própria intuição nos mandando uma mensagem. O faz segundo nossas expectativas prévias, nossa personalidade, emoções e sensações.

É como se tivéssemos aberto nosso “baú” de experiências para encontrar a resposta.

3. É observador e não se deixa levar por preconceitos alheios

olhar- com-inteligência-intuitiva

Há quem desconfie da inteligência intuitiva. Quem pense que não é certo se deixar levar por estes pensamentos, estas sensações.

Porém, autores como Robin M. Hogarth, especialista em tomada de decisões e autor de “Educar a intuição”, nos dizem o seguinte:

  • As pessoas intuitivas são muito observadoras.
  • Têm uma visão crítica sobre as coisas, não se deixam influenciar.
  • Na hora de tomar uma decisão, confiam em sua intuição, em todas as sensações que possa lhes chegar de qualquer foco, de qualquer estímulo.

Porém, após atender a intuição, sempre tomam uma decisão lógica e consciente. A intuição é, pois, um ponto de partida imprescindível.

4. Desfrute de instantes em solidão

A solidão favorece essa necessária conexão consigo mesmo. Só então somos capazes de analisar nossos pensamentos, de compreender nossas emoções.

As pessoas com inteligência intuitiva entram em contato com seu mundo interior de forma frequente, através da meditação.

Algo assim só se consegue em solidão, desfrutando de si mesmo para, depois, se conectar de forma mais eficaz com nosso entorno.

5. Aprendeu a “interpretar sinais”

mulher-entre-natureza-desenvolvendo-sua-intuicao

 

Ao falar de interpretar sinais nos referimos a aspectos muito concretos.

A pessoa sabe quando é a melhor oportunidade para fazer algo. Percebe quando estão mentindo, quando é preciso atuar, quando acabar com um relacionamento ou com uma responsabilidade pontual.

  • Atender aos sinais é ser sensível e prestar atenção ao seu entorno.
  • Dispor de uma experiência da qual aprendeu, que permitiu ser mais sábio e, por sua vez, confiar em si mesmo.
  • Atender os sinais implica em ser corajoso para dar o passo. Para proporcionar essa mudança, para iniciar uma nova etapa, para conseguir ser mais feliz.

Descubra também 7 sinais precoces de relacionamentos abusivos

Geralmente, o sexto sentido se desenvolve plenamente nas pessoas entre os 40 e 50 anos.

É quando já dispomos de uma bagagem de experiências e quando temos mais segurança em nós mesmos para começar mudanças em busca de nossa felicidade.

A intuição, assim como o sexto sentido, podem ser aprendidas, e não há diferenças entre homens e mulheres. Todos podem e devem fazer uso destas dimensões.

Como recomendação, e se o tema lhe interessa, sugerimos a consulta dos seguintes livros:

  • Inteligência Intuitiva. Malcolm Gladwell (editora Taurus, 2005).
  • Educar a intuição: O desenvolvimento do sexto sentido. Robin M. Hogarth (editora Paidós, 2002).