7 chaves para a resiliência: a coragem que vem de dentro

7 chaves para a resiliência: a coragem que vem de dentro

Resiliência é a capacidade que temos de superar momentos difíceis, para deixar para trás a dor emocional e para olhar para o futuro. É uma capacidade que todos temos e que podemos desenvolver.
Como desenvolver a resiliência

Apesar da resiliência ser um termo muito usado no campo psicológico e motivacional, na verdade essa palavra tem sua origem no campo da física.

Quando um material perde sua forma devido a um impacto ou agressão de um agente químico e é capaz de voltar à seu formato original sem se romper ou quebrar, este é um claro exemplo de resiliência.

Essa particularidade física foi apropriada pela psicologia positiva para nos ensinar que nós também podemos realizar esta maravilhosa ação: a de enfrentarmos as adversidades, superá-las e, além disso, sairmos fortalecidos no processo.

Hoje, em nosso espaço, convidamos você a descobrir 7 chaves que podem nos ajudar a colocar em ação este mecanismo tão terapêutico e curativo.

Acreditemos ou não, como organismos vivos que somos, estamos preparados biologicamente “para sobreviver”, e nosso cérebro pode nos guiar nesta adaptação, neste renascer, que nos permite atravessar os momentos de escuridão para chegar ao dia de amanhã com esperanças renovadas.

Chaves para desenvolver sua resiliência

Atualmente o conceito de resiliência se aplica a vários campos e disciplinas. Num nível empresarial, por exemplo, é muito útil para enfrentar os momentos de crise e dificuldade, em que cada membro deve ser capaz de analisar sua situação e aplicar novas estratégias para obter melhorias.

Às vezes, em momentos de crise, surgem as melhores oportunidades para sairmos mais fortalecidos, e isso é algo que também podemos aplicar no campo pessoal e até afetivo. Vejamos agora quais fatores podem nos ajudar a colocar isso em prática.

Recomendamos ler: Autoconfiança: comece a apostar em si mesmo

1. Conecte-se ao seu entorno

pedra-coração

Quando vivemos momentos de dificuldade, podemos ter a sensação de que o mundo perdeu sua sintonia, de que todos vão numa direção e nós em outra.

Devemos parar e tomar consciência de que não estamos sozinhos. Atreva-se a se conectar, a buscar apoio nos bons amigos, em sua família, naquelas pessoas que realmente sabem escutá-lo e que são capazes de oferecer ajuda.

Aceitar ajuda de nosso entorno nos fortalece, nos deixa mais seguros para tomar novas decisões e recuperar a esperança.

2. A dor intensa não dura eternamente: você poderá voltar a respirar

Nada pode mudar o que houve, os fatos são o que são e temos todo o direito de nos sentirmos chateados, tristes, abatidos…

No entanto, temos que levar em conta que as situações complexas não vão durar para sempre, que a dor não é eterna e que, dia após dia, as coisas vão melhorando. Devemos nos permitir “fluir” com a própria vida. Há momentos de dificuldade, momentos de oportunidade e dias de felicidade autêntica.

3. A mudança é parte da vida

Este aspecto se une ao que ressaltamos antes: a vida flui e está em contínuo movimento, e isso implica que as mudanças são inevitáveis, mas nos apegarmos de maneira eterna à dor é opcional. Não faça isso, não se interrompa…

A adversidade deve nos convidar a ligar os motores inatos da adaptação que todos temos integrados em nosso cérebro. Sintonize suas emoções em busca de esperanças renovadas, aceite tudo o que houve e, pouco a pouco, permita-se avançar, deixe o transcorrer dos dias convidá-lo a olhar para o horizonte.

4. Tenha novos objetivos

O que houve já não tem mais volta, não se pode mudar, a única opção agora é aceitar e assumir. Sua primeira ação para enfrentar essa adversidade é tomar uma decisão, propor a si mesmo um objetivo simples e fácil de assumir.

Mais adiante virão os objetivos mais arriscados, mas para começar servem os mais fáceis, os mais terapêuticos: sair para caminhar, encontrar-se com amigos, fazer uma viagem, tentar aproveitar…

Descubra também: 8 chaves para desenvolver sua autoestima

5. Crie uma imagem positiva de si mesmo

Superar a dor do coração

Você já conhece essa imagem de si mesmo sofrendo, sendo tocado pela dor, pelo fracasso, pela ausência ou desengano. É uma imagem que já lhe é familiar. Agora, vamos criar uma nova imagem.

O desenvolvimento da autoconfiança é chave nesses momentos, é o caminho pelo qual você poderá enfrentar o dia a dia, resolver problemas e confiar em seus instintos. Desse modo, você poderá ir construindo sua resiliência.

6. Mantenha a perspectiva das coisas

Ainda que tenhamos que enfrentar acontecimentos muito dolorosos, é necessário manter o controle e uma perspectiva adequada das coisas. Se abandonaram você, isso não significa que você não tenha direito de ser feliz de novo.

Se você perdeu alguém, não deve cair nesse poço no qual se nega a sorrir de novo ou a ter esperanças. Tenha perspectiva, ouça o seu coração.

7. Cuide de si mesmo

Você tem amigos, família, pessoas que gostam de você e que estão aí para ajudá-lo a cada dia. No entanto, quem deve cuidar de você realmente é você mesmo.

Nunca se esqueça de que você merece ser feliz de novo, por isso não hesite em favorecer sua saúde física e emocional. Saia para caminhar, mantenha uma dieta adequada, favoreça o desapego emocional e cultive planos, sonhos… Não deixe de pensar no futuro.