Câncer de pele: 7 aspectos que muitos ainda desconhecem

7 coisas sobre o câncer de pele que muitos ainda desconhecem

Para prevenir o câncer de pele devemos ter cuidado na hora de nos expormos ao sol, mas também vigiar as verrugas e manchas no corpo, prestando atenção sempre em características como cor e tamanho.
Coisas sobre o câncer de pele que muitos desconhecem

O câncer de pele se transformou em uma das grandes ameaçadas do mundo moderno e, de fato, é a variação da doença que mais é diagnosticada a cada ano.

Ela afeta em sua maioria pessoas com mais de 50 anos, ainda que também tenham ocorrido casos em indivíduos mais jovens, principalmente quando se expõem de forma contínua ao sol.

O mais comum é o do tipo melanoma, que recebe este nome porque não deixa rastros de melanoma maligno, ou seja, aquele que se produz a partir dos melanócitos.

Os fatores que mais influenciam o seu desenvolvimento são a radiação que o sol emite através dos raios UV e as mutações do DNA nas células epiteliais.

Porém, apesar de ser um dos mais comuns na população, os índices de mortalidade por seu desenvolvimento se estabilizaram e cada vez há mais facilidades para fazer um diagnóstico precoce.

Devido a isso é importante conhecer mais a fundo a doença e aprender a identificar alguns de seus sinais.

Como sabemos que alguns não sabem muito sobre seu desenvolvimento, a seguir queremos compartilhar sete detalhes relevantes.

1. A exposição ao sol aumenta o risco

exposição-sol-câncer-de-pele

Muitos consideram a exposição contínua ao sol como algo inofensivo, porque o máximo que se sente é um leve ardor que some com o passar dos dias.

O que a maioria ignora é que, a longo prazo, o impacto da radiação na pele altera suas células e aumenta de forma considerável o risco de desenvolver o câncer.

2. O uso de protetor solar não é o suficiente

Ainda que a aplicação de protetor solar na pele minimize os efeitos negativos do sol, seu uso regular não garante que estaremos a salvo deste tipo de câncer.

De fato, o sol é um dos fatores associados ao desenvolvimento da doença. Além dos raios UV, as toxinas, o cigarro e a má alimentação poderiam ter muita influência também.

3. Qualquer verruga pode se tornar maligna

câncer-de-pele

A maioria dos casos de câncer de pele se desenvolve a partir de uma mancha que começa a crescer de forma anormal.

Porém, em outras circunstâncias pode surgir a partir de uma verruga pré-existente que foi invadida por células malignas.

Esta variedade é conhecida como melanoma, que não é tão frequente entre as variedades da doença mas que, infelizmente, é o tipo mais agressivo.

4. As verrugas maiores aumentam o risco

O risco de malignidade das verrugas aumenta quando elas têm um tamanho considerável e são do tipo “nevo melanocítico congênito”.

Esta variedade aparece na pessoa desde o seu nascimento e é comum que cresça com o passar dos anos.

5. As câmaras de bronzeamento podem ser perigosas

O uso contínuo de lâmpadas ou cabines de bronzeamento é um fator de risco que ninguém deve ignorar.

Apesar de parecerem uma alternativa à exposição direta ao sol, o certo é que elas também emitem um certo grau de radiação ultravioleta que pode ser perigoso.

6. Pode se desenvolver devido a uma infecção

infecção-câncer-de-pele

Outra das possíveis causas dessa doença são as lesões e inflamações crônicas que ocorrem devido a queimaduras graves de infecções.

Se a pele que protege a parte interna do corpo apresenta uma infecção grave, o risco de se desenvolverem células malignas aumenta significativamente.

7. A regra do “ABCDE” para identificar o câncer de pele

As manchas repentinas na pele e as anormalidades nas verrugas são o sinal mais evidente para suspeitar deste tipo de câncer.

Porém, para estarmos mais convencidos disso, vale a pena considerar a popular regra do “ABCDE”:

  • A de assimetria: uma das parte da verruga ou mancha de nascimento não coincide com a outra.
  • B de borda: as bordas apresentam irregularidades e parecem anormais.
  • C de cor: a cor inclui sombras marrons e pretas, ainda que algumas vezes possam se tornar vermelhas, brancas ou azuis.
  • D de diâmetro: a verruga mede um pouco mais de 1/4 de polegada de largura (6 mm).
  • E de evolução: com o passar dos dias notam-se mudanças na forma, no tamanho e na cor da verruga.

Lembre-se de que uma das formas mais eficazes de prevenir o desenvolvimento do câncer de pele é por meio da visita anual ao seu dermatologista de confiança.

Fique atento aos sinais que considerar anormais e solicite os respectivos exames para ter mais segurança.