8 sintomas que podem indicar câncer de fígado - Melhor com Saúde

8 sintomas que podem indicar câncer de fígado

Mesmo que os sintomas de câncer de fígado possam ser similares a algumas doenças gástricas e possam ser confundidos, é fundamental procurar um especialista para obter um diagnóstico precoce
8 sintomas que podem indicar câncer de fígado

O fígado é o maior órgão interno do corpo e, devido às funções que desempenha, é impossível viver sem ele.

Este órgão é o responsável por filtrar o sangue para eliminar as toxinas que se acumulam no corpo, mas também deve distribuir os nutrientes, secretar hormônios e ajudar nos processos digestivos.

Infelizmente, como muitas outras partes do organismo, pode desenvolver doenças crônicas e destrutivas como o câncer.

A infecção pelos vírus das Hepatites B ou C, a obesidade e a exposição a substâncias tóxicas prejudiciais são somente alguns dos fatores que podem ocasionar o aparecimento desta grave condição.

O que mais preocupa as grandes instituições de saúde é que ano após ano aumentam os casos de câncer de fígado, muitos dos quais terminam em consequências trágicas por sua difícil detecção.

E assim como ocorre com os demais cânceres, no início não se desenvolvem sintomas contundentes e somente é percebido quando está em etapas mais avançadas.

Existe uma lista de sinais que podem chegar a ser determinantes para a suspeita desta doença antes que esta siga evoluindo. Neste artigo iremos revelar os mais importantes para você tê-los em mente.

1. Dor e inflamação abdominal

Mulher com dor abdominal por causa do câncer de fígado

O fígado está localizado na parte superior direita do abdômen e por isso a presença de células cancerígenas neste órgão nos leva a ter inflamação abdominal. Por esta razão quem está sofrendo com a doença também experimenta uma dor leve e recorrente no ventre. 

Ambos sintomas pioram conforme a doença avança, mesmo que em grande parte dos casos seja de difícil detecção, pois é confundido com doenças digestivas.

2. Mal-estar estomacal

As náuseas e vômitos constantes são outro indício de que algo não está bem. Mesmo que ambos sintomas sejam comuns em doenças gastrointestinais, não devem ser descartados, pois podem ter relação com um problema grave no fígado.

3. Sintomas similares à gripe

Mulher com febre devido ao câncer de fígado

O ataque das células malignas reduz a resposta imunológica do corpo e causa sintomas muito similares com os da gripe.

Entre os sintomas estão incluídos os seguintes:

  • A febre.
  • A fraqueza muscular.
  • Fadiga excessiva.
  • Redução do apetite.
  • Dor de cabeça.

4. Icterícia

A icterícia é uma coloração amarelada nas membranas mucosas, na parte branca dos olhos e na pele.

No caso do câncer acontece quando as células danificadas obstruem os ductos biliares, transportando a bile através do sangue e dos tecidos.

A bile tem a função de ajudar na digestão, participa na decomposição dos nutrientes e, quando fica alterada, causa esta cor amarelada.

Em geral, trata-se de um sintoma de etapas mais avançadas, mas em alguns casos aparece como um sinal oportuno.

5. Dor óssea

Pessoa com dor na coluna pelo câncer de fígado

Quando o câncer hepático consegue se espalhar para os ossos causa uma dor que pode variar de intensidade de acordo com os movimentos. Em certos momentos é aguda e lancinante, e também pode chegar a irradiar para as articulações.

Neste tipo de caso os pacientes são submetidos à cirurgia para eliminar o tumor localizado e reduzir a dor.

6. Problemas de pensamento

A constante confusão e as dificuldades de concentração são o resultado da acumulação de toxinas que o fígado doente não pode filtrar.

7. Perda excessiva de peso

Mulher emagrecendo por causa do câncer de fígado

A falta de apetite e a dificuldade para absorver de forma adequada os nutrientes levam a uma perda de peso de forma rápida e excessiva.

É importante procurar atendimento médico quando perdem-se muitos quilos sem estar seguindo alguma dieta específica.

Não se esqueça de ler: 5 maneira de controlar seu apetite e perder peso 

8. Dificuldade para respirar

Caso o câncer chegue a produzir metástase, as células cancerígenas entram no sangue ou vasos linfáticos e se transportam para outras partes do corpo.

O tecido pulmonar costuma ser um dos mais afetados e nestes podem ser formados tumores secundários.

O crescimento cancerígeno reduz o bom funcionamento do sistema respiratório e impede o transporte do oxigênio até os pulmões. Como resultado, podem aparecer graves problemas de respiração e ataques constante de asfixia. 

Nestes casos tão complicados o tratamento inclui uma cirurgia ou radiação para destruir o tumor pulmonar.

O câncer de fígado é uma das variedades de câncer mais difíceis de ser tratada. A complexidade deste órgão e os problemas para sua detecção são duas desvantagens que, na grande parte dos casos, impedem a cura.