8 tipos de arroz para a sua dieta - Melhor Com Saúde

8 tipos de arroz para a sua dieta

Não importa a idade ou a dieta, manter a brasileiríssima dupla arroz com feijão no prato é importante para a imensa maioria das famílias brasileiras. Mas, que tal trocar a variedade? Outros tipos de arroz podem ser tão saborosos quanto o tradicional arroz branco e ainda agregar outros nutrientes além dos carboidratos, como proteínas, fibras, vitaminas e sais minerais. Confira abaixo cada um deles e suas características essenciais:

Arroz branco, polido ou agulha

Também conhecido como polido ou agulha, tem sua casca retirada durante o processo de fabricação, perdendo boa parte de seus nutrientes nesse processo. No entanto, é o mais barato, mais versátil e o mais rápido de cozinhar.  

Arroz integral

Como a sua casca não é retirada, o arroz integral contém uma boa lista de nutrientes:  mais fibras para manter o intestino regulado, as vitaminas A, B1, B2, B6, B12 e um alto teor de magnésio. É fácil de ser encontrado em supermercados, mas o seu preço é mais alto que o branco. Também leva mais tempo para ficar pronto e precisa de mais água durante o cozimento.

Arroz parbolizado

Este arroz é parcialmente cozido ainda com casca em água fervente, o que faz com que uma boa quantidade de vitaminas e minerais passem da casca para o  arroz em si. Desta forma, com a posterior retirada da casca, parte do valor nutritivo é conservado, principalmente vitaminas do complexo B. É preparado da mesma forma que o arroz branco.

Arroz cateto ou japonês

Essa variedade vinda do Japão tem grãos curtos, curvados e mais transparentes que os tradicionais. Por sua alta quantidade de amido, pode ficar cremoso após o cozimento. Por isso, para evitar que ele fique grudado, ele deve ser cozido por um tempo mais longo. Pode ser encontrado com ou sem casca.

Arroz arbóreo

Também de consistência cremosa por conta da grande quantidade de amido, o arbóreo tem grão arredondado e uma melhor capacidade de absorver temperos – por isso é o escolhido para o preparo de risotos. No entanto, seu valor nutricional é baixo, já que não tem casca nem passar por um método que conserve as suas propriedades.

Arroz basmati ou indiano

Possui aroma adocicado de nozes, gosto mais forte que dispensa a adição de temperos e seus grãos são bem mais longos. Seu valor nutricional é o mesmo do arroz branco, mas ajuda a variar o cardápio. É mais caro que os tradicionais e, em algumas regiões, só é encontrado em lojas especializadas.

Arroz vermelho

Esta variedade pode ser um importante aliado na redução do nível de LDL (colesterol ruim) no sangue, por conta do seu alto nível do componente monocolina. Desta forma, pode ajudar a melhorar a circulação sanguínea, evitando infartos e derrames cerebrais. Atua ainda nas funções intestinais, contando com mais ferro e  zinco se comparado ao arroz branco. O seu cozimento é igual ao do arroz branco.

Arroz negro

O chinês arroz negro contém 20% a mais de proteínas e 30% a mais de fibras do que o arroz integral, além de um elevado teor de ferro, menos gordura e menor valor calórico. Também conta com um grande número de compostos antioxidantes, substâncias capazes de combater os radicais livres e, consequentemente, prevenir o envelhecimento precoce, doenças crônico-degenerativas e  cardiovasculares.