Açúcar, mais toxico do que pensamos - Melhor com saúde

Açúcar, mais tóxico do que pensamos

A redução do consumo de açúcar para cuidar melhor da saúde sempre foi uma ideia bastante difundida. Porém, muitos creem erroneamente que os danos causados pelo consumo excessivo de açúcar são menores que aqueles produzidos por outros alimentos.

De fato, um grande número de pessoas continua consumindo açúcar em quantidades consideráveis e na maioria das vezes, controlar a quantidade de açúcar consumida não nos põe a salvo de seus efeitos adversos.

Por isso, à continuação apresentaremos alguns dados importantes sobre o açúcar, que seguramente a maioria ainda não conhece.

Lembre-se, para gozar de uma boa saúde não basta praticar exercícios, também é de extrema importância o controle e preocupação com aquilo que consumimos diariamente.

Mortalidade e fecundidade

Uma pesquisa publicada pela revista Nature Communications e desenvolvida em ratos de laboratório revelou que o consumo de açúcar, mesmo que moderado, está estritamente relacionado com uma maior mortalidade e menor fecundidade.

Durante a pesquisa, a equipe responsável escolheu um grupo de ratos para realizar uma dieta onde 25% das calorias procediam de açúcares adicionados, uma porcentagem que uma pessoa saudável poderia consumir ao tomar três latas de bebidas açucaradas por dia.

Depois de 32 semanas de observação foi concluído que, os grupos que consumiam esse açúcar extra morriam duas vezes mais rápido que aquele que tinha uma dieta natural.

E ainda que não detectassem mudanças na mortalidade dentro do grupo de machos, perceberam que esses eram menos competitivos e tinham menos descendência.

“Sabemos que 25% de açúcar extra prejudica aos ratos. A possibilidade de que prejudique aos humanos é alta, simplesmente porque as mesmas substâncias tóxicas para os ratos também são para nós”, explicou James Ruff, responsável pela pesquisa.

Problemas cardíacos

Alguns estudos demonstraram que o açúcar pode danificar significativamente o coração. Esse produto afeta o mecanismo de bombeamento do coração, além de aumentar o risco de ocorrer uma falha cardíaca.

Ainda, outras análises sugeriram que o açúcar desempenha um importante papel nos casos de obesidade infantil e acúmulo de gordura no estômago.

Dessa forma, especialistas afirmam que o aumento no consumo de bebidas com altos teores de frutose tem  feito com que cada vez mais crianças sofram de excesso de peso e, consequentemente, futuros problemas de saúde, como cardíacos e diabetes.

doces. Eric M Martin

Um assassino silencioso

O açúcar pode ser considerado um assassino silencioso simplesmente porque os danos que provoca não são visíveis.

Por exemplo, há alguns anos foi comprovado que o açúcar, sobretudo a frutose, inibe a produção de leptina, um hormônio que nos dá a sensação de fome saciada.

Logo, uma vez alterados os níveis de leptina passamos a comemos mais sem nos darmos conta disso, e consequentemente ganhamos peso e problemas futuros de saúde.

Também há fortes indícios para pensarmos que o açúcar desempenha um papel no desenvolvimento de cânceres, principalmente em pessoas que necessitam injetar insulina e que em certo momento desenvolvem resistência a ela pelo contínuo consumo de açúcar.

A genética e a indução ao consumo de açúcar

Alguns especialistas realizaram experimentos que supõem que o gosto por açúcar pode ter origem genética, exatamente como o caso de consumo de álcool.

Igualmente, ficou comprovado que ambos os produtos podem causar efeitos muito similares ao organismo. Por isso, o consumo excessivo de açúcar pode afetar seriamente o metabolismo.

Além disso, embora se acreditasse que o açúcar é um excelente estimulador mental, a realidade é que recentemente foi comprovado que esse produto pode afetar a memória e acelerar o processo de envelhecimento das células.

Certifique-se da quantidade de açúcar consumida

Finalmente, devemos nos preocupar com alimentos que provavelmente contém altos níveis de açúcar. Comumente pensamos que certos produtos não contém muito açúcar. Entretanto, ao observarmos as etiquetas e as informações nutricionais nos daremos conta dos níveis de açúcar de cada produto.

Por isso, o melhor é verificar os dados nutricionais daquilo que comemos e, sobretudo, diminuir drasticamente o consumo de refrigerantes e bebidas açucaradas já que, como bem sabemos, essas bebidas podem incidir na ocorrência de obesidade y doenças mais sérias, como a diabetes.

Imagens oferecidas por Ume-y e Eric M Martin.