Alimentos que potencializam o cérebro - Melhor com saúde

Alimentos que potencializam o cérebro

A partir dos 30 anos perdemos cerca de 1000 neurônios por dia. Para manter uma boa saúde cerebral, é imprescindível manter uma alimentação saudável e fazer exercícios, tanto físicos quanto mentais.

O cérebro precisa se alimentar com os nutrientes adequados, que o façam render e funcionar com toda a sua capacidade. Existem alguns alimentos específicos que ajudam a fortalecer a memória, concentração, aprendizagem e até melhorar o estado de ânimo.

Desta maneira, com uma dieta balanceada e uma vida saudável, a longevidade do cérebro pode se estender, bem como sua vitalidade, que normalmente regride com o passar dos anos, e prevenir doenças como o Alzheimer.

Importância de uma dieta saudável para o seu cérebro

O cérebro controla algumas funções do corpo através do sistema nervoso. Por isto, é indispensável cuidar do mesmo e dar-lhe a devida importância. Com o tempo, e especificamente com 30 anos, perdem-se aproximadamente 1000 neurônios por dia. Com isto, o cérebro se desgasta paulatinamente e, com ele, funções como a memória.

Outro fator que deve-se considerar é que o tamanho do órgão não está diretamente relacionado com suas funções. Por exemplo, Albert Einstein tinha aproximadamente 1,350 gramas a menos de massa cerebral do que a média geral das pessoas. Porém, usava o órgão melhor que a maioria.

Apesar de um cérebro pesar não mais do que 1.4 kg, o que representa apenas 2% do peso corporal, ele absorve aproximadamente 20% da energia de nosso corpo.

Os alimentos básicos deste órgão são a glicose e o oxigênio. No primeiro caso, é necessário que o sangue tenha a quantidade necessária da substância (glicose), entre 70 e 120 m para 100 ml de sangue.

Somado a isto, o cérebro também precisa de gordura, já que representa 30% de sua constituição. Logo, é necessário consumir gordura insaturada, como o ômega 3 e 6, que protegem e formam as células do cérebro.

Por exemplo, utilizando azeite de oliva ou consumindo peixe e frutos secos, influenciaremos o organismo a causar um menor desgaste emocional e intelectual.

Como manter o cérebro saudável?

O cansaço e o estresse podem causar a falta de memória, fazendo com que dados importantes, como datas e afins, sejam esquecidos com frequência. Se isto acontecer, será necessário buscar meios para que o cérebro recupere seu funcionamento normal.

É possível incluir, em nossa dieta, alimentos que contenham ômega 3, vitaminas B, C e E e ácido fólico. Logo, é importante consumir vegetais e frutas que oferecerão estes e outros nutrientes indispensáveis ao bom funcionamento do órgão.

Outro ponto importante é a ordem de consumo destes alimentos. Para que o cérebro seja nutrido corretamente, deve-se, primeiro, consumir as proteínas e, por último, os carboidratos.

Se essa sequência for seguida, os aminoácidos chegam corretamente ao cérebro, mas se os carboidratos forem consumidos primeiro, apenas o triptofano chegará ao cérebro, o que faz com que uma quantidade maior de serotonina seja produzida, substância responsável pela origem do sono.

No entanto, não é apenas uma boa alimentação que ajuda a aperfeiçoar a capacidade cerebral, também é necessário praticar exercícios e se manter ativo, o que inclui praticar a leitura de diversos tipos, aprender novas habilidades, idiomas, tocar instrumentos, buscar jogos como palavras cruzadas ou Sudoku, dentre diversas outras atividades.

esporte-para-el-cerebro

 

Praticar exercícios físicos é igualmente necessário e importante, pois esta prática tem uma relação direta com as conexões neurais, para pacientes com apneia, antes de iniciar uma rotina de exercícios físicos é preciso consultar um médico.

Mantendo este hábito, contribuirá para preservar o lóbulo frontal do cérebro, um dos maiores responsáveis pelo envelhecimento e pela perda de memória. Além disso, fornecerá oxigênio ao cérebro, o que, por conseguinte, diminuirá a incidência de doenças que implicam na perda de memória, como as cardiovasculares e a diabetes.

Alimentos bons para o cérebro

Existem alguns alimentos específicos que ajudam a oferecer os nutrientes que o cérebro necessita. Desta forma, a memória melhorará e doenças como o Alzheimer serão prevenidas. Confira-os:

  • Chá verde: neste chá, encontra-se catequinas, que impedem a fadiga cerebral e melhoram a memória. Além disso, este chá aumenta a produção de dopamina, um neurotransmissor fundamental para o órgão. No geral, ajuda a prevenir desordens cerebrais.
  • Mirtilo: diminui a oxidação que o cérebro naturalmente sofre com o passar dos anos. Desta maneira, ajuda a reduzir efeitos de algumas doenças, como a demência senil e o Alzheimer.
  • Abacate: é bom para manter e controlar a irrigação de sangue em seus níveis normais, essencial para o cérebro. Isto ocorre porque o abacate contribui com as gorduras monoinsaturadas.
  • Iogurte: ajuda as funções nervosas, graças ao cálcio que contém. Além disso, oferece tirosina ao cérebro, uma substância que contribui na produção de neurotransmissores, como a norodrenalina e a dopamina.

iogurt-e-frutas

  • Morangos: aumentam a comunicação interna do cérebro e diminuem os efeitos negativos sobre o centro de controle, que pioram à medida que a idade avança.
  • Ovos: impedem o envelhecimento cerebral, já que contêm zeaxantina e luteína, dois dos antioxidantes naturais imprescindíveis. Além disso, constituem uma grande fonte de proteínas.
  • Brócolis: melhora as funções cognitivas e a função cerebral graças ao seu teor considerável de vitamina K.
  • Espinafre: melhora a eficiência do aprendizado e das atividades motoras do organismo. Também reduz os efeitos negativos que a velhice provoca no cérebro.
  • Amora silvestre: impede o desenvolvimento de doenças degenerativas e ajuda a prevenir a oxidação do cérebro. Possui nutrientes de grande benefício para a saúde mental.
  • Peixe: o consumo de ácidos graxos e ômega 3, que encontrados em várias espécies de peixe, melhora o rendimento cognitivo.

Contra a falta de memória

Existem alguns alimentos específicos contra a falta de memória. A ONG HelpGuide sugere os seguintes:

  • Ácidos ômega 3: estão relacionados às funções cognitivas, como já citado. São “gorduras saudáveis”, que se distinguem das gorduras trans e saturadas. Ajudam na luta contra o colesterol elevado e contra inflamações. Alguns alimentos que contêm esta substância são: nozes, óleo e sementes de linho, arenque, cavalinha, salmão e atum.
  • Ácido fólico e vitaminas B (B12 e B6): protegem os neurônios ao eliminar a homoquistaína, um aminoácido tóxico que afeta as células nervosas. A vitamina B contribui para a produção de glóbulos vermelhos que mandam oxigênio ao cérebro. Alguns alimentos com vitamina B são: feijão preto, legumes, soja, cítricos, melão, espinafre, verduras, aspargos, brócolis e morango.
  • Betacaroteno e antioxidantes como as vitaminas E e C: os antioxidantes combatem os radicais livres que prejudicam as células. Também melhoram o fluxo de oxigênio no cérebro e no corpo, de uma forma geral. Alguns alimentos que os possuem são: fígado, batata doce, tomate, cítricos, nozes e sementes, espinafre, chá verde, brócolis e frutos vermelhos.

Definitivamente, é indispensável realizar uma dieta saudável para o cérebro se desejamos manter sua saúde. Os alimentos com os nutrientes necessários, exercícios físicos e mentais e o desenvolvimento do cérebro são os ingredientes chave para que este órgão se conserve com a idade e infortúnios sejam evitados.