Aos que não estão mais aqui e estão em nossos corações

Aos que não estão mais aqui, aos que dormem em nossos corações

Embora digam a você o contrário, não reprima seus sentimentos. Chore se você tiver que fazê-lo, porque isso nos ajuda a desabafar, a relaxar e a canalizar nossa dor.

Aos que não estão mais aqui, nós os carregamos em nossos corações; é nesse canto onde dormem e onde residem nossos bens mais preciosos.

Assumir a perda de uma pessoa, sua morte, é algo que não é fácil para ninguém e que, além disso, nos forçará a ter que implantar uma série de estratégias para as quais ninguém está preparado.

Hoje, vamos falar sobre isso.

Aprender a dizer adeus aos que não estão mais aqui 

Como dizer adeus a alguém que há um momento atrás estava do nosso lado? A morte não entende de razões, muito menos de tempo.

Às vezes, são levadas pessoas que ainda não tinham conseguido cumprir sua “cota de vida”, jovens que ainda tinham centenas de experiências pelas quais transitar e que, no entanto, se foram do nosso lado deixando um vazio.

A morte poderia nos permitir uma despedida. Deveria ser como uma estação de trem, onde é oferecida uma despedida de nossos entes queridos, um abraço longo e intenso, dizer aquelas palavras que estão sempre no ar e que, às vezes, tornam-se verdadeiros arrependimentos.

Agora, no entanto, uma vez que é assim que a vida constrói seu caminho, temos que nos adaptar a ela e entender, em primeiro lugar, que nós não somos eternos, que tudo o que nos rodeia não é mais do que uma curta distância a pé. Daí a necessidade de viver cada dia na máxima plenitude.

“Leia também: Como tratar a depressão naturalmente

Devemos conseguir que cada noite nos deixe sem ter contas pendentes, sem que nos tenhamos esquecido de um “Eu te amo”, sem que o aborrecimento nos force a descansar no travesseiro com rancor.

Aproveite cada momento com seus seres queridos ao máximo; promova a felicidade em cada um de seus alentos diários.

Esclarecido esse aspecto essencial, vejamos agora que passos devemos seguir para lidar com a perda de um ser querido.

Viver o luto

Estamos certos de que você já ouviu sobre o luto; este processo emocional que segue qualquer tipo de perda; seja a separação de um companheiro, ou a morte de alguém querido.

É vital que levemos em conta o fato de que para lidar com uma perda é necessário controlar múltiplas emoções. Aqueles que decidem “mergulhar” instantaneamente nas rotinas normais, sem reconhecer a dor, podem acabar sofrendo problemas no futuro.

Agora vamos ver em que estágio está o luto:dizer adeus aos que não estão mais aqui

 1. Negação

Como aceitar que meu parceiro não está mais aqui? Como assumir que já não vou ver mais minha mãe, minha irmã, essa amiga de alma? É muito difícil; e a primeira fase baseia-se no impacto da perda de emocional , na qual não acreditamos.

2. Irritação, raiva ou até mesmo indiferença

Nós devemos ter em mente que nem todos reagem igualmente. Há quem vai ficar indignado e cheio de raiva, zangado consigo mesmo, com os outros e com a providência. No entanto, há quem se cale, que é incapaz de chorar ou evita “falar do assunto”.

3. Negociação

Nesta fase estamos assumindo certas coisas. Esse acidente, essa doença… Isso já aconteceu e não vale a pena ficar irritado com o mundo. Agora, nós já aceitamos falar com outras pessoas, vemos como passam os dias e, de fato, essa pessoa já não está mais conosco.

4. Dor

Aqui aparece a dor em toda sua imensidade e, como tal, deve ser manifestada, vivida, chorada e tentar aliviá-la o quanto antes. Não deixe ninguém lhe dizer que “não chore”, porque você precisa disso e as emoções devem ser canalizadas.

Leia também: “Você sabia que chorar faz bem para a saúde?

5. Aceitação

Acreditando ou não, a aceitação chega. Nós acabamos assumindo a perda e o vazio e, apesar de sabermos que a vida nunca mais será a mesma, ela deve continuar com seu ciclo e vamos continuar nosso caminho sem esquecer.

Porque nossos entes queridos ainda estão em nossa memória e, sem dúvida, ficarão felizes em saber que novamente abrimos os nossos olhos para o mundo e nos permitimos a oportunidade de sermos felizes.

Chaves para manter a força e boas lembrançasboas lembranças aos que não estão mais aqui

  • Por favor, note que, se o processo de luto se estender por mais de 6 meses, e continuamos ainda dominados por um estado de tristeza na qual perdemos nossa autonomia no dia a dia, temos de pedir ajuda profissional. Isso é importante.
  • O dia a dia, bem como as rotinas, a família e os amigos, serão o seu melhor apoio. Pouco a pouco vai doer menos, e você não deve se sentir culpado por isso, em absoluto.

Porque a memória dessa pessoa viverá sempre com você. É parte de você, de sua essência, de seu ser, e de cada um de seus alentos. Não tem problema se você voltar a sorrir, porque ele ou ela estará em cada um de seus sorrisos para que você recupere um pouco da sua alegria.

  • Não fique obcecado com as lembranças dos últimos momentos, da doença, do acidente, desse momento que escapou de sua mão. Todos os dias você deve se esforçar para evocar os bons momentos que viveram, o carinho recebido, as palavras sinceras e gentis… Concentre-se nas emoções positivas.
  • A vida é uma viagem onde cada momento conta. O que foi vivido no passado marca o que você é agora, então essa pessoa é uma peça a mais de sua essência vital. Você a carrega com você e sempre o fará. Viva plenamente e com esperança, porque todo esse amor vivido marca também o que você é agora