Grande é aquele que brilha sem apagar a luz pessoal dos demais

Grande é aquele capaz de brilhar sem apagar a luz pessoal dos demais

Devemos aprender que, para brilhar, o que é necessário é cultivar nosso interior e crescer por nós mesmos, sem a necessidade de apagar os demais para alcançar o nosso bem-estar.
A luz pessoal de cada um

Quem é capaz de brilhar com a sua luz pessoal não precisa apagar a dos outros. Quem encontra o valor, o otimismo e a motivação em seu próprio ser deixa de depender ou de querer controlar quem está ao seu redor.

É possível que em seu círculo mais próximo você possa contar com essas pessoas tão especiais, capazes de dar a você esperança nos dias sombrios. São personalidades que não pedem nada em troca, que são humildes e sinceras. Apoios que nos inspiram a imitá-los.

Vivemos em uma sociedade muito complexa em que, às vezes, temos a sensação de que nos cortam as asas, nos apagam a voz e violam nossos direitos.

Não é fácil abrir nosso caminho entre a competitividade e todas essas diferenças sociais que tornam tão difícil encontrar nossa felicidade.

No entanto, temos que pensar que, seja qual for nossa situação, sempre valerá a pena acender essa luz pessoal em nosso interior para abrigar o otimismo e o valor. Assim, você iluminará seu caminho e também poderá ajudar outras pessoas.

Convidamos você a refletir sobre isso.

Para brilhar, precisamos apagar nossas próprias obscuridades

Diz-se que apenas as crianças são capazes de brilhar com luz própria. Sua inocência, sua vontade de encontrar novas motivações, sua capacidade de se encantar a cada dia nos oferecem essas lições que, ao crescermos, às vezes esquecemos.

Fatores como as responsabilidades ou o fato de viver em ambientes muito exigentes, em que nos exigem mais do que podemos oferecer, resultam muitas vezes no acúmulo de decepções, medos, ansiedades e inseguranças.

São recantos privados em que, pouco a pouco, a escuridão vai se instalando.

É necessário que “limpemos” essas áreas que, longe de nos permitir crescer pessoalmente, vão nos encalhar numa situação permanente de infelicidade.

Não perca também: A autêntica beleza é uma boa atitude

mao_envolta_halo_luz

Detecte suas zonas obscuras

É preciso detectar e enfrentar os próprios inimigos. No entanto, é muito comum que os integremos à nossa personalidade quase sem nos darmos conta.

  • Os pensamentos limitantes são essas zonas obscuras que nos dizem repetidamente que não podemos fazer isso ou aquilo. Somos nós mesmos que limitamos nosso horizonte.
  • É necessário identificar esses pensamentos e enfrentá-los.
  • Não ao ruído mental. Quando falamos de ruído mental, nos referimos ao fato de pensar várias vezes nos erros do passado, recordar esse fato que tanto nos faz mal. Tudo isso gera mal-estar e frustração.
  • Os medos são os abismos mais perigosos de nosso ser. Existem medos instintivos que nos permitem sobreviver, não podemos avançar o sinal vermelho, nem nos aproximar de precipícios…

Mas muitos de nós abrigamos vários medos injustificados, que nos cortam as asas e nos impedem de alcançar metas e sonhos.

Recomendamos ler: Amadurecer é ser feliz sabendo que nem tudo é perfeito

Não projete suas obscuridades sobre os demais

A frustração pessoal faz com que, muitas vezes, as pessoas projetem sobre nós sua ira, sua raiva, que nos responsabilizem por coisas que eles mesmos não foram capazes de realizar.

Viver com amargura é fechar as portas para a esperança mas, além disso, às vezes faz com que se criem prisioneiros. Podemos ver isso, por exemplo, nesses pais que proíbem a felicidade de seus filhos e que, com suas obscuridades pessoais, apagam a luz original das crianças.

Não é recomendável. Cada um de nós deve ser capaz de resolver nossos próprios vazios, medos e frustrações, para avançarmos em equilíbrio e sermos capazes de dar o melhor de nosso ser aos demais.

Desenvolva sua luz pessoal e projete-a para os outros

Quem tem luz própria incomoda quem está na escuridão

Como diz esse antigo provérbio, antes de esperar que uma luz ilumine nosso caminho, será sempre melhor acendê-la nós mesmos.

  • Ao invés de sermos agentes passivos de nosso destino, esperando que as coisas aconteçam por si, devemos ser capazes de investir na fantasia, de criar, de cultivar pensamentos positivos, realistas e poderosos, para mudar nossas emoções e, assim, encontrar caminhos mais esperançosos.
  • Quem é capaz de guardar a esperança em seu coração, a humildade em sua mente e a fantasia em seu olhar trará luz também aos demais.
  • É um processo que podemos iniciar pouco a pouco, estando mais presentes, deixando o passado no baú da aprendizagem, onde não há rancores, para olhar para o “aqui e agora” com mais otimismo, desfrutando as pequenas coisas sem medo, sem mágoas.

Leia também: Teve um dia ruim? Reflita sobre estes 5 aspectos

As grandes pessoas não o são pelo seu tamanho, mas por serem capazes de cuidar de si mesmas e levar bem-estar aos demais.

Como ressaltamos no início, com certeza você conhece alguém assim. Talvez seja sua mãe, irmão ou aquela amiga que está sempre ao seu lado. Cuide bem dessas pessoas e imite-as.

Ter luz pessoal não é algo espiritual. É saber combinar a força pessoal, a coragem e uma boa autoestima.