Câncer de pulmão

O câncer se refere às células que crescem fora de controle e invadem outros tecidos. As células podem se tornar cancerígenas devido à acumulação de defeitos ou mutações em seu DNA.

O câncer de pulmão é uma das causas principais de mortalidade. Esta doença é difícil de detectar em suas etapas iniciais, o que dificulta muito que seja pautado um tratamento a tempo e, por onde, ele tenha eficiência. Por essa razão, o tratamento do câncer de pulmão em etapas posteriores não costuma ter um bom prognóstico.

Na maioria das vezes as células podem detectar e reparar o dano do DNA. Se uma célula estiver severamente danificada e não puder se reparar sozinha, ocorre a morte celular programada ou apoptose. Desta forma, o câncer é produzido quando as células danificadas crescem, se dividem e se disseminam anormalmente, ao invés de se autodestruírem.

As pesquisas ainda continuam sobre qual pode ser a causa do câncer de pulmão; porém, foi demonstrado que existem certos fatores de risco que contribuem para que as células se tornem cancerígenas. Estes fatores de risco incluem a genética, a exposição à contaminação do ar, dentre outros, mas o mais evidente é o tabagismo.

Relação do tabagismo com o câncer de pulmão

O tabagismo pode desencadear câncer de pulmão

Desde 1876, quando foi inventada uma máquina para produzir cigarros enrolados, o cigarro se tornou acessível para muito mais pessoas. Nesse momento, o câncer de pulmão era uma doença pouco comum. Com o tempo, o hábito de fumar aumentou drasticamente e também o número de pessoas com câncer.

Atualmente ao redor de 90% de todos os cânceres de pulmão estão relacionados com o tabagismo. O gás radônio, a contaminação, as toxinas e outros fatores contribuem com os 10% restantes. Vale destacar que, tanto os cigarros como o fumo do cigarro contêm mais de 70 substâncias químicas cancerígenas (carcinógenas) algumas delas são as seguintes:

  • Arsênico (um inseticida)
  • Benzeno (um aditivo da gasolina)
  • Chumbo (um metal altamente venenoso)
  • Cádmio (um componente da bateria)
  • Isopreno (usado para fazer borracha sintética)

O fugo do cigarro é particularmente pesado nas nitrosaminas específicas do tabaco (TSNA), que se consideram particularmente cancerígenas.

A importância dos cílios

O fugo do cigarro danifica e pode matar os cílios; ou seja, as células das vias respiratórias. Os cílios se encarregam de eliminar toxinas, carcinógenos, vírus e bactérias. Quando o cigarro danifica ou destrói os cílios, todos estes elementos podem se acumular nos pulmões e causam problemas que vão desde infecções até câncer.

Fatores de risco

  • Herança.
    • Também há pacientes que desenvolvem cânceres de pulmão sem um histórico prévio.
  • A água potável que tem altas concentrações de arsênico e isso pode aumentar as possibilidades de desenvolver câncer de pulmão, mas não está claro como o processo ocorre.
  • Tabagismo.
    • Ainda que também não se conheça a razão pela qual o adenocarcinoma nos pulmões é mais comum nos não fumantes do que nos fumantes. Porém, dentre os fatores de risco mais comuns se encontram o fumo de segunda mão, o gás de radônio, a contaminação do ar e as exposições trabalhistas.

fumo de segunda mão

O fumo passivo pode desenvolver câncer de pulmão

Os fumantes de cigarro põem a outros em risco de desenvolver esta doença. Um não fumante que vive com um fumante tem um aumento de 20% a 30% no risco de desenvolver esta doença devido à exposição a concentrações de fumo em seu entorno.

Gás de radônio

Os fumantes expostos a este gás têm um risco maior de desenvolver estes problemas do que os não fumantes. O gás de radônio é produzido de forma natural, mas pode ser infiltrado nas casas se acumular em sótãos e espaços de arraste.

Contaminação do ar

A contaminação do ar contribui para o desenvolvimento de cânceres de pulmão. Os contaminantes transportados pelo ar, como o escape do diesel, podem fazer com que algumas pessoas desenvolvam esta doença. Estima-se que ao redor de 5% dos cânceres de pulmão se devam a contaminantes do ar.

Exposições trabalhistas

Trabalhos que podem desencadear câncer de pulmão

Apesar de o hábito de fumar representar um risco maior de sofrer câncer de pulmão, a exposição a certos compostos e produtos químicos constitui fatores de risco.

Neste sentido, os agentes como o asbesto, o urânio, o arsênico e o benzeno, dentre outros, aumentam o risco de desenvolvermos câncer de pulmão. A exposição ao asbesto pode causar câncer de pulmão (mesotelioma) muitos anos depois da exposição inicial. Estas pessoas podem estar em risco de desenvolver esta doença pulmonar durante décadas (de 10 a 40 anos).

Sintomas

Quando uma pessoa com câncer de pulmão apresenta sintomas, em geral, estes costumam ser:

  • Fatiga.
  • Dor no peito.
  • Perda de peso.
  • Falta de ar ou sibilâncias.
  • Tosse crônica, tosse com muco e sangramento.

Tipos de câncer de pulmão

Imagem de câncer de pulmão

  1. Câncer de pulmão de células pequenas. Representa aproximadamente 10% de todos os cânceres de pulmão. Esta forma tende a se estender rapidamente.
  2. Câncer de pulmão de células não pequenas. São o tipo mais comum. Representam ao redor de 90% de todos os cânceres de pulmão e são menos agressivos, o que significa que se disseminam a outros tecidos e órgãos mais lentamente.

Menos de 5% dos tumores que ocorrem durante esta doença tomarão forma de um tumor carcinoide, enquanto que outros tumores cancerígenos são ainda mais raros (carcinomas adenoides císticos, os linfomas e os sarcomas).

Ainda que o câncer de outra parte do corpo possa se disseminar aos pulmões, eles não são classificados como câncer de pulmão.

Diagnóstico

Infelizmente nas primeiras etapas os cânceres de pulmão, frequentemente, ocorrem de forma assintomática, por isso são ainda mais perigosos. Em muitos casos os sintomas se apresentam de forma não específica, com o que se descarta sua relação com o câncer.

Ao redor de 25% das pessoas que não apresentam sintomas, são diagnosticadas com câncer de pulmão depois de uma radiografia de tórax ou durante um exame de rotina.

Se os exames de rotina sugerirem que uma pessoa tem câncer de pulmão, um patologista deve realizar os exames definitivos. O especialista examinará as células pulmonares do paciente com escarro, muco ou a partir de uma amostra de biopsia para classificar e descobrir o estado do câncer de pulmão.

Prevenção

Evitar o tabagismo previne o câncer de pulmão

A medida de prevenção mais recomendada (e evidente) é evitar o consumo de tabaco ou, pelo menos, diminuir consideravelmente este hábito. Para os fumantes que param de fumar dentro dos 10 anos, o risco de desenvolver esta doença diminui em até quase o mesmo risco que se nunca tivessem fumado.

Assim como para evitar muitas outras doenças, recomenda-se manter um estilo de vida saudável, evitar os excessos e ter precaução com químicos e substâncias tóxicas em geral.

Referências

The lung cancer, Cancer Council NWS, https://www.cancercouncil.com.au/lung-cancer/

Lung cancer, the University of Texas MD Anderson Cancer Center, https://www.mdanderson.org/cancer-types/lung-cancer.html

Lung cancer, http://www.sciencedirect.com/science/journal/01695002?sdc=1

Lung cancer, American Cancer Society, https://www.cancer.org/cancer/lung-cancer.html

Lung cancer, An internacional journal for lung cancer and other thoracic malignancies, http://www.lungcancerjournal.info/

Wikipedia Cáncer de pulmón, https://es.wikipedia.org/wiki/C%C3%A1ncer_de_pulm%C3%B3n

Recomendados para você