Café: faz bem ao seu cérebro. E o ajuda a ficar jovem!

Sabia que seu cérebro ama o café? Ele o ajuda a se manter jovem!

A cafeína é capaz de melhorar nossa memória de curto prazo, mas o café deve ser tomado puro. No momento em que o misturamos com leite e açúcar, seus benefícios são reduzidos.
Sabia que seu cérebro ama o café? Ele o ajuda a se manter jovem!

Já sabemos que nossos leitores gostam de café. É uma bebida mágica sem a qual muitos não podem começar o dia. E, com certeza, muitos já se perguntaram mais de uma vez se ele é tão bom para saúde como dizem.

É um estimulante natural, por isso em certas ocasiões há preocupações sobre ele aumentar a tensão ou causar dor de cabeça. Então, seria melhor optar pelo café descafeinado? O autêntico segredo para que o café seja saudável para todos é tomá-lo com moderação. Bastam duas xícaras por dia (aproximadamente 200 ml). Dessa forma favorecemos a saúde do fígado, obtemos energia e melhoramos até o nosso humor.

Agora, se há um órgão de nosso corpo que o café beneficia, é o cérebro. A seguir, explicaremos o porquê e convidaremos para que desfrute dessas xícaras matinais com total tranquilidade.

Um café para o cérebro, por favor…

café para o cérebro

Do que mais gostam aqueles que amam o café? Claro, da cafeína! Então os amantes da bebida acharão curioso conhecer os seguintes dados:

  • A cafeína é, na realidade, um composto químico conhecido como 1.3,7-trimetilxantina (C8H10N4O2). Existem no mundo mais de 60 tipos de café, e este tipo de composto pode ser encontrado também no chá ou na erva mate.
  • Quando nos levantamos ainda com sono, temos em nosso cérebro um neuroquímico chamado adenosina, o qual se encarrega de regular a sonolência. No momento em que tomamos essa apetecível xícara de café, ocorre algo incrível! As moléculas de cafeína chegam ao nosso cérebro e se unem aos receptores de adenosina, estimulando-as e estimulando o resto das células cerebrais para que nos ativem. Por isso seu “milagroso” efeito.
  • O efeito ativador do café dura entre uma e três horas, o suficiente para permitir que comecemos o dia com energia.

Já que agora conhecemos o mecanismo pelo qual a cafeína nos ativa, vamos saber como esta bebida ancestral beneficia nosso cérebro.

1. O café evita a deterioração cognitiva causada pelo estresse e pela idade

Segundo um trabalho publicado no Journal of Alzheimer Disease, o café pode atrasar a deterioração cognitiva e fazer com que doenças como o Alzheimer demorem mais a se desenvolver.

O trabalho foi realizado nas Universidades da Flórida e de Miami, nos Estados Unidos, e concluiu que o consumo regular de duas xícaras por dia de café evita o desenvolvimento de demências ou atrasa seu início em pessoas com mais de 65 anos.

Poderíamos dizer com isto que a cafeína atua como protetora para que nossas conexões cerebrais continuem funcionando com normalidade, evitando sua deterioração e o desenvolvimento de placas de mielina que favorecer o Alzheimer.

E quanto ao estresse? É adequado tomar café quando levamos um dia cheio de inquietude e estresse? Esse dado lhe chamará a atenção. Segundo um trabalho publicado na revista britânica de psicologia Journal of applied social Psychology, tomar café de forma moderada (não mais de duas xícaras por dia) é adequado apenas para mulheres em situação de estresse, e não para homens.

Este trabalho descobriu que isso eleva a dopamina nas mulheres, o que faz com que sejam mais efetivas no trabalho e mais centradas em suas tarefas. Porém, nos homens aumenta o nervosismo e a agressividade.

2. O café nos ajuda a manter a atenção

café nos ajuda a manter a atenção

O café melhora nossa memória, mas só a “memória a curto prazo”. Ou seja, a cafeína é capaz de melhorar nossos processos cognitivos básicos como memória e atenção, sempre e quando não nos excedermos.

Ela nos permitirá melhorar nossa capacidade de retenção, e poderemos nos fixar melhor nas coisas durante o tempo que durar o efeito da cafeína. Porém, é importante saber que no momento em que misturarmos o café com água, leite ou açúcar, estes benefícios se reduzirão.

3. A cafeína alivia os sintomas do Parkinson e atrasa seu desenvolvimento

Café melhora a memória

Segundo nos explicam na revista Neurology, os pacientes que já sofrem de doenças de Parkinson conseguem aliviar sua sonolência depois de uma xícara de café matinal.

Além disso, se mostram mais sociáveis, ativos e melhoram, inclusive, sua motricidade, sempre e quando o consumo for regular.

O processo neurodegenerativo desta doença pode melhorar graças à cafeína, por isso contínuos estudos e pesquisas estão sendo realizados em todo o mundo atualmente. Algo que, sem dúvidas, nos enche de esperanças.

Concluindo, nosso cérebro ama o café porque ele não só o estimula, mas também melhora muitos de seus processos neurais e bioquímicos básicos. Assim, sempre e quando consumirmos de forma regular essas duas xícaras diárias, estaremos melhorando não apenas nossa saúde hepática, por exemplo, mas também poderemos prevenir e atrasar o desenvolvimento de muitas doenças.