Como saber se tenho cálculo na vesícula? - Melhor Com Saúde

Como saber se tenho cálculo na vesícula?

Em algumas ocasiões, os cálculos na vesícula costumam ocorrer  sem deixar sintomas evidentes, e vivemos nossa vida de forma normal sem saber que algo vai mal. Uma alimentação incorreta pode ser a base de sua aparição, portanto, é importante aprender a reconhecer e evitar o problema a tempo.

Sintomas do cálculo na vesícula

Saúde dor fígado

Você já se perguntou alguma vez o que são os cálculos na vesícula? São cristais, cristais duros que vão se armazenando e bloqueando as funções básicas deste órgão. Ocorrem basicamente por alguma alteração na bílis, por infecções, por pequenas patologias na vesícula biliar e também pelo excesso de colesterol ou uma alimentação irregular.

São muitas as pessoas que se submetem a uma operação para extrair os cálculos, um problema bastante comum que vale a pena prevenir da maneira que for possível. É por isso que hoje convidamos você a conhecer os principais sintomas, ainda que, segundo os médicos, quase 40% dos casos ocorrem de modo assintomático. Mesmo assim, vale a pena conhecê-los!

1. O tipo de dor

A dor aparece do nada e dura alguns instantes. Aparece na parte superior direita do abdome ou entre os ombros. São os primeiros sintomas, os primeiros males neste momento em que o cálculo começa a se mover e a bloquear as chamadas vias císticas ou colédocos.

2. Inchaço do ventre

Não se assuste. Obviamente, são muitas as vezes em que o ventre incha e nem por isso significa que é um sintoma direto dos cálculos vesiculares. Preste atenção quando você fica com inchaço, é quase todos os dias? É sempre depois das refeições? O melhor é tentar saber o que significam os sintomas. Se for algo contínuo e se sente mais de um dos sintomas aqui enumerados já é algo a ser considerado.

3. Problemas digestivos

Quando sofremos de cálculos na vesícula, costumamos ter pequenos ou consideráveis problemas digestivos, tais como indigestão, gases, arrotos, inflamações, refluxos, a comida nos cai mal e, sobretudo, intolerância aos alimentos gordurosos . Nos estufa, nos empanturra, não cai bem…é algo muito característico.

4. Sintomas físicos

Não é sempre que ocorre, mas em algumas ocasiões acontece e não podemos deixar passar: a pele pode adquirir um tom ligeiramente amarelado, devido à bílis, algo também notado no branco dos olhos, que também pode adquirir um tom amarelado.

5. Mudanças nas fezes e urina

Devemos lembrar que a vesícula está ligada à produção de bílis, ao processamento das gorduras e à digestão. Se há um problema, se os cálculos estão obstruindo a vesícula, todo nosso sistema digestivo e excretor receberá pequenas alterações. No caso das fezes é comum que tenham uma aparência mais esbranquiçada e gelatinosa. Enquanto que a urina pode aparecer um pouco mais escura que o normal. Vale a pena verificar esses sintomas.

Formas adequadas para cuidar da vesícula

 

Cura com limão e azeite de oliva

Está claro que, se sofremos de cálculos na vesícula, o simples fato de seguir uma dieta adequada não vai dissolvê-los. Será sempre o médico quem dirá o que deve ser feito e se é necessário uma intervenção cirúrgica. Enquanto isso, se você não sofre de nenhum sintoma, vale a pena sempre prevenir o risco seguindo alguns conselhos muito adequados. Em 60% dos casos é eficiente e necessário, tome nota:

  • Antes de dormir e também ao acordar, tome uma colher de azeite de oliva com três gotinhas de suco de limão. Este remédio funciona como um eficiente protetor e purificador da vesícula biliar.
  • Suco natural de beterraba e maçã. Muito saudável e perfeito para tomar no jantar. Ideal utilizar uma maçã verde e uma beterraba média. Pique os ingredientes e bata no liquidificador junto com um copo de água. Tome três vezes por semana.
  • Levedura de cerveja: pode incluir em suas vitaminas ou sucos, por exemplo. É muito benéfica devido ao seu suplemento rico em inositol, um grande protetor tanto de nossa vesícula como do próprio fígado.

Lembre que diante de qualquer sintoma, vale a pena consultar nosso médico, será ele quem vai avaliar, mediante os respectivos sintomas, se sofremos ou não de cálculo vesicular.