Saiba mais sobre a pílula anticoncepcional - Melhor com Saúde

Saiba mais sobre a pílula anticoncepcional

Você certamente já ouviu várias inverdades sobre a pílula anticoncepcional. Por exemplo: o uso da pílula está diretamente relacionado ao ganho de peso. E não é bem assim…

O motivo para tal afirmação está baseado nos efeitos colaterais deste medicamento nas primeiras décadas de seu surgimento.

Atualmente, o investimento em pesquisas associado ao avanço tecnológico permitiu a fabricação de medicamentos com dosagem hormonal bem inferior.

E em uma conversa com seu ginecologista, é possível ter acesso a um medicamento que lhe proporcione pouco ou nenhum efeito colateral.

Um pouco mais sobre a pílula

Muitas mulheres preocupam-se apenas com os efeitos da pílula, deixando de lado a importância de consumi-la regularmente. Mas se consumida de acordo com suas indicações, garante total eficácia.

Entretanto, muitas mulheres são displicentes ao ministrarem o medicamento, e por este motivo perde-se pequena porcentagem de sua eficácia.

A infertilidade também é um mito que ronda este método contraceptivo. O que a maioria das mulheres não sabe, é que quando o uso do medicamento é suspenso no prazo de trinta à noventa dias a fertilidade retorna normalmente.

Há pontos importantes que devem ser considerados no que diz respeito à infertilidade. Deve-se considerar a idade em que a mulher se encontra, o tipo de vida que leva, se afeta ou não sua saúde e os demais fatores que interferem na fertilidade de qualquer mulher.

Há quem diga que a pílula é indicada apenas para mulheres dentro da faixa etária de até trinta anos. Mas também não é bem assim. A pílula também pode ser usada mulheres com até cinquenta anos, desde que tenham hábitos saudáveis e não se encaixem em nenhuma contraindicação.

femme brune 40 ans détente

Há quem diga que a pílula é indicada apenas para mulheres dentro da faixa etária de até trinta anos. Mas a pílula também pode ser usada mulheres com até cinquenta anos.

Riscos do medicamento

Como todo medicamento, a pílula também apresenta alguns fatores de risco. Um deles é o consumo da pilula em mulheres acima de trinta e cinco anos e fumantes.

Neste tipo de caso, o risco de um infarto aumenta consideravelmente. Há contraindicações também para mulheres hipertensas, que tenham enxaqueca, doenças cardiovasculares e até mesmo para quem já teve trombose.

Acabando com os mitos

Algumas pessoas por falta de orientação ainda acreditam que o uso da pílula é capaz de proteger contra doenças sexualmente transmissíveis (DST’s).

Esta informação não procede e o uso da pílula deve ser acompanhado do uso de preservativos, que de fato protegem contra as DST’s .

Ao contrário das pílulas fabricadas anos atrás, as de hoje ainda trazem benefícios à saúde da mulher. Algumas pílulas são também utilizadas no combate aos sintomas da tensão pré-menstrual.

Em alguns casos, determinados medicamentos são indicados com o intuito de emendar uma cartela na outra e assim, suspender a menstruação, evitando os desconfortos causados pela tpm.

Mas cuidado, este método pode não ser tão benéfico ao organismo de algumas pessoas, pois cada um reage de maneira diferente.

Na dúvida, consulte seu ginecologista periodicamente para que ele possa responder todos os seus questionamentos e lhe ajudar a ter uma vida sexual tranquila e saudável.