Descubra a lei do espelho e seja feliz - Melhor Com Saúde

Descubra a lei do espelho e seja feliz

Talvez não sejam os outros que nos decepcionem, mas sim nossas próprias expectativas. Temos que aprender a nos colocar no lugar dos outros.

A lei do espelho diz que o que vemos no demais é em realidade um reflexo do que temos dentro de nós mesmos, e que, por isso, se quisermos ser felizes, nossa felicidade não depende dos demais nem de nós mesmos. Conheça a lei do espelho, que ensina a administrar os problemas com outras pessoas (familiares, amigos, trabalho etc.) a partir de alguns exercícios com nós mesmos.

As coisas que nos incomodam

Existem coisas que sempre nos incomodam. Nossa cunhada sempre nos dizendo o mesmo nas festas de família, nossos pais querendo controlar muito a nossa vida, nossos filhos que não são sinceros, entre outras situações. Sempre esperamos que os demais atuem de uma determinada forma e, no entanto, em muitos casos nos sentimos desapontados. Contudo, somos conscientes que talvez sejamos nós que estamos decepcionando?

Como primeiro exercício, propomos fazer uma lista com todas as coisas que nos incomodam com relação às pessoas que nos rodeiam. 

lista-M-Car

Nossas coisas que incomodam os outros

Mas agora vamos fazer o contrário, e faremos outra lista pondo coisas que possam incomodar ou ter incomodado em algum momento outras pessoas. Para fazê-la devemos ser sinceros e autocríticos com nós mesmos. Não somos perfeitos, somos humanos, e sabemos que podemos errar muitas vezes. Por isso é importante aprender a ser empático, ou seja, a se colocar no lugar do outro.

O que diz a lei do espelho

A lei do espelho nos ensina que se em realidade sentimos algo negativo por uma pessoa, a causa está em nosso coração e não na outra pessoa. Por exemplo, se nos sentirmos ofendidos por algo que nos disseram, isso é porque também nós estamos também ofendendo alguém, talvez não esta pessoa, mas sim outra. E se aprendermos a nos dar conta disso, e principalmente a evitar, possivelmente deixaremos também de nos sentir ofendidos. É curioso como nem todas as pessoas reagem igual ante a mesma situação. Porque nem todas as pessoas têm o mesmo sentimento no coração.

Um exercício prático

Vamos escolher uma dessas pessoas que não suportamos algumas coisas ou que nos sentimos feridos, ofendidos ou aborrecidos, e vamos fazer uma lista com coisas que nós gostaríamos de agradecer a elas. Em alguns casos isto nos pode surpreender e muito, e inclusive incomodar, e devemos fazer um grande esforço, mas valerá a pena. Certamente alguma vez estas pessoas fizeram algo por nós ou por algum familiar nosso etc.

A seguir, ainda mais difícil, faremos uma lista expondo coisas pelas quais gostaríamos de pedir perdão, ainda que sejam pequenos detalhes. Talvez olhamos torto para aquela pessoa, faltamos o respeito, dissemos algo cruel, criticamos algo. Até aqui será um verdadeiro exercício de humildade, mas no terceiro e último passo é somente para as pessoas mais valentes.

Nós iremos entrar em contato com esta pessoa (pessoalmente, por telefone ou por carta), daremos obrigado por todos os motivos apontados na lista, e pediremos perdão por todas as coisas da segunda lista.

llamada-kiwanja

O resultado

Este exercício anterior pode parecer uma loucura, posto que muitas pessoas são muito orgulhosas para terminá-lo, ou pensam que deveria ser o contrário, que são eles que deveriam receber os agradecimentos e dar o perdão. Mas, o resultado parecer ser surpreendente, e estas pessoas que jamais esperam por tal mensagem parecem reagir de modo muito positivo e emocional. Lembrem-se, sejamos aquilo que queremos ver nos outros.

Quando, como, com quem?

Podemos fazer este exercício sempre que quisermos e com quem tivermos necessidade. É um exercício prático que quase sempre dar resultados. É tão simples, ainda que não seja fácil, que vale a pena prová-lo, principalmente com as pessoas as quais mais queremos, ou em situações que nos prejudicam e queremos superar.

Imagens por cortesia de kiwanja e M Car.