Se você desistir hoje, o esforço de ontem não servirá de nada

Se você desistir hoje, o esforço de ontem não servirá de nada

Não é ruim se você desiste para começar de novo com mais força. O problema aparece quando você faz isso porque não encontra nada que o motive e anime a seguir em frente.
Leão e mulher representando coragem para não desistir

Se você desistir, se disser a si mesmo que não pode mais e permitir que seu fôlego se transforme em lágrimas de rendição, de nada servirá tudo o que fez ontem, cada muro que derrubou e cada vitória alcançada em silêncio.

Carregamos em nossas costas batalhas das quais apenas nós somos conscientes. Damos tudo por nossa família, por nossos filhos, lutamos todos os dias para realizar aquele sonho que tínhamos em mente e que nem todos entendiam.

Então… Por que costumamos desistir? O motivo de optarmos por desmoronar, por dobrar os joelhos e deixar um longo suspiro de desamparo escapar se deve quase sempre à falta de apoio, às decepções e ao esgotamento emocional.

Pode ser que muitos o vejam como um leão, como alguém que é capaz de tudo e nunca desiste. Porém, em algumas  ocasiões este leão se transforma em um gato cansado que só deseja se encolher no canto de uma cama e dormir.

Se você já sentiu isso alguma vez, propomos que recobre os ânimos. Recomendamos que não se renda e não se deixe levar pelo abatimento.

A seguir explicaremos como fazer isso.

Se você desistir, nada mudará

Render-se é uma palavra que nos soa muito mal, carece de prestígio e é associada muitas vezes à covardia. Não devemos enxergá-la dessa forma.

Render-se de vez em quando está dentro do normal e inclusive do esperado. Principalmente porque, em ocasiões, quem se rende o faz para assumir uma evidência diante da qual não pode fazer nada.

“Me rendo, sei que essa pessoa não me ama e já não devo perder mais tempo com isso”, “preciso me render às evidências, não fui feito para esse trabalho e devo orientar minhas capacidades a outro campo profissional”.

leão-com-borboleta-representando-coragem-de-não-desistir

  • Render-se sempre será aceitável se com isso assumimos uma realidade para sermos mais competentes em nossa vida, para tomarmos consciência diante de algo que não era para nós.
  • Agora, do lado oposto está, sem dúvidas, a rendição que ocorre por conta de um coração partido, uma mente fragmentada que já não tem forças e nem esperanças para enfrentar um fato concreto.
  • Se nos rendemos, se enxergamos a nós mesmos como pessoas incapazes de manter essa luta pessoal, precisamos tomar consciência de que nada vai mudar.
  • Ficaremos exatamente no mesmo lugar e sem poder avançar em nosso bem-estar ou naquela conquista que tanto significa para nós.

Se você se rende em um dado momento, avalie quais consequências pode ter o fato de “deixar tudo” e de abandonar sua meta.

Desistir momentaneamente para preparar a batalha

Imaginemos que nos rendemos. Que nos sentimos saturados em nosso trabalho e que decidimos por nós mesmos que naquela situação “nunca alcançaremos uma ascensão”.
  • Desistimos de nossos filhos,  pensamos que jamais vão ser aprovados naquele curso porque são incapazes de se concentrar, de ser mais responsáveis e de tirar proveito de suas horas de estudo.
  • Em alguns casos uma rendição momentânea nos permite tomar perspectiva e ver as coisas com mais calma, com menos pressão.
  • Quando nos rendemos passamos por um período de calma interior no qual, de súbito, quase sem sabermos como, reunimos forças de novo. Aparecem novas ideias, melhores estratégias e expectativas renovadas.

Vale a pena considerar que, para conseguirmos alcançar um propósito, precisamos do máximo de nós mesmos. Por isso, fatores como a pressão e a ansiedade atuam como verdadeiros inimigos.

Mantenha a calma e você verá como o leão volta a caminhar de novo.

leão-representando-força-para-não-desistir

A vitória final chega com triunfos diários

O vencedor é um sonhador que nunca desiste. Assim, para alcançar um objetivo é preciso sonhar com ele, imaginá-lo, fazer planos, estratégias e, antes de tudo, envolver cada desejo com o fôlego da motivação.

  • Um aspecto que também deveríamos considerar é que o triunfo final é alcançado conseguindo muitos triunfos cotidianos.
  • Em algumas ocasiões não os enxergamos, porque nos centramos unicamente em um objetivo a longo prazo sem vermos as mudanças cotidianas que estamos alcançando.

Para não se render é preciso boa atitude, confiança, uma boa autoestima e, antes de tudo, ser capaz de ver que essa luta pessoal tem um sentido e um propósito, por isso vale a pena investir tempo e emoções.

Assim, se neste momento você está travando uma batalha pessoal, lembre-se de que quem está ao nosso redor pode ser uma ajuda inestimável ou, pelo contrário, ser a pedra no caminho capaz de nos tirar o ânimo.

Escute a quem estiver mais perto de seu coração e, acima de tudo, siga seus instintos, sua voz interior.