Dicas para aumentar a autoestima dos seus filhos

Dicas para aumentar a autoestima dos seus filhos

Quando fazem as coisas sozinhos, nossos filhos têm o direito de errar e, neste caso, de aprender com seus erros. No entanto, quando eles acertam, a sua satisfação será maior por terem alcançado seus objetivos sem ajuda.
Dicas para aumentar a autoestima dos seus filhos

A autoestima é algo extremamente importante na vida de um adulto, já que atua como uma armadura capaz de nos proteger dos desafios e situações difíceis que, invariavelmente, a vida irá nos apresentar.

No entanto, não é apenas na vida adulta que a autoestima é importante; ela também é fundamental durante a infância e a adolescência. É neste período que a autoestima começa a ser construída, e os pais possuem um papel crucial ao ajudar seus filhos a desenvolvê-la.

Neste artigo iremos falar sobre algumas dicas e conselhos para que possamos contribuir da melhor forma possível para a construção desta virtude tão importante em nossos filhos.

  1. Ame-os incondicionalmente para aumentar a autoestima

O amor incondicional dos pais é o primeiro passo para o desenvolvimento de uma autoestima saudável nas crianças. Ame-os independentemente de suas forças, fraquezas, habilidades e dificuldades, principalmente nos momentos em que eles mais precisarem do seu amor.

Quando for repreendê-los por algum motivo, deixe claro que o problema é com o comportamento deles, e não com eles mesmos. Assim eles continuarão a se sentir amados, o que é muito importante para desenvolver o amor próprio, já que os pais são a primeira referência de amor que eles terão na vida.

  1. Deixe que seus filhos errem

Amor-e-autoestima

É claro que devemos prezar pela sua segurança sempre, mas não devemos superprotegê-los de todas as dificuldades da vida. É fundamental deixar que as crianças errem para que possam, então, aprender com seus erros.

Para desenvolver a autoestima é preciso entender também a importância da persistência, de tentar de novo, de se esforçar para alcançar os objetivos. É preciso compreender que errar ou fracassar em um determinado momento não é uma sentença definitiva, e sim um convite ao aprendizado e a uma nova tentativa, com mais força e conhecimento acumulados.

  1. Incentive, mas não elogie em excesso

Certamente devemos celebrar os pequenos sucessos e conquistas de nossos filhos, já que isso é importante para que eles se sintam bem consigo mesmos e tenham aquela sensação satisfatória de atingir uma meta e sentir-se com o dever cumprido.

Por outro lado, não devemos elogiá-los a todo instante, e sim nos momentos nos quais os elogios realmente fazem sentido. Além disso, lembre-se de ser específico nos elogios. Não diga algo vago como “Parabéns” ou “Você fez um bom trabalho”. Ressalte sempre o que ele conseguiu alcançar em detalhes.

  1. Não faça comparações e evite rótulos

Autoestima-filhos

Rótulos são terríveis para a autoestima de uma criança, portanto é importante evitá-los a qualquer custo. Não diga frases como “Você não é bom em matemática” ou “Você é muito desastrado”, já que este tipo de conduta pode ficar marcado e prejudicar a autoestima de nossos filhos.

Além disso, evite também fazer comparações. Cada indivíduo tem as suas aptidões, gostos pessoais e particularidades, e as crianças não são diferentes. Se somos todos únicos, por que compará-los aos seus irmãos, amigos ou colegas de sala?

  1. Dê a eles autonomia e responsabilidades

Em todas as idades as crianças podem começar a receber uma pequena quantidade de autonomia e de responsabilidade. Seja algo simples como guardar os brinquedos, colocar a mesa, manter o quarto arrumado, plantar uma sementinha no jardim e ser o responsável pelo seu crescimento, etc.

As crianças podem ser supervisionadas no início, mas dar a elas esta autonomia ajuda a desenvolver a autoconfiança, além de fazer com que elas se sintam mais úteis e valorizadas.

  1. Encoraje-os a expressar seus sentimentos

Sentimentos-e-autoestima

Reprimir os sentimentos não é recomendado em nenhuma idade, já que este hábito pode, inclusive, prejudicar a saúde física. No caso das crianças isso não é diferente.

Incentive-os a expressar seus sentimentos, sejam eles positivos ou negativos, de uma forma calma e sem explosões. Ajude-os a entender que tais sentimentos são normais, que precisamos aprender a lidar com eles, para que as crianças possam se sentir cada vez mais confortáveis com as mudanças emocionais pelas quais todos nós passamos no dia a dia.

Além disso, lembre seus filhos de que eles sempre terão seus pais para desabafar em qualquer momento de dificuldade. Mantenha este canal aberto sempre para fortalecer a autoestima dos pequenos.

  1. Dê o exemplo

As crianças são como esponjas e absorvem tudo o que veem no dia a dia. Isso também vale para a autoestima e a autoconfiança. Mesmo que nos esforcemos para tornar realidade todos os passos deste artigo, eles não serão tão eficazes se nossos filhos observarem seus pais tendo dificuldades com a sua própria autoestima.

Se este é um problema para você, vale a pena trabalhar também no seu caso, para que você possa transmitir os valores importantes para seus filhos com confiança e segurança.