Doença de Crohn: sintomas e tratamento - Melhor Com Saúde

Doença de Crohn: sintomas e tratamento

Ainda que todos possamos desenvolvê-la, os especialistas suspeitam que a doença de Chron, que pode se manifestar entre os 13 e 30 anos, tem um componente hereditário.

Talvez você tenha ouvido falar da doença de Crohn ou até mesmo a conheça de antemão. São muitas as pessoas que padecem dela e que precisam adaptar suas vidas a essa doença intestinal inflamatória, que incide não só no funcionamento do intestino, mas em qualquer parte do sistema digestivo, desde a boca até o reto. É sempre bom conhecer os seus sintomas para estarmos atentos a eles. Logo, recomendamos esse artigo para que você saiba um pouco mais sobre a doença de Crohn.

A causa dessa doença ainda é desconhecida. Trata-se de uma afecção que ataca o nosso sistema imunológico por engano, destruindo tecidos saudáveis; uma inflamação que passa a ser crônica e que incide sobre as paredes intestinais, engrossando-as. Observemos mais detidamente.

O que é a doença de Crohn?

Aparelho digestivo inferior

A doença de Crohn está baseada principalmente em uma irritação ou inchaço de qualquer parte do tubo digestivo. Ela tem dois modos de nos afetar: inflamando o intestino delgado ou desenvolvendo-se como colite ulcerosa no intestino grosso, colo e reto.

No intestino, forma-se o tecido cicatricial e se acumula aí até estreitá-lo, fazendo com que os alimentos e as fezes passem de maneira lenta e dolorosa pelo tubo digestivo, causando dores, cólicas e diarreia.

Quem pode desenvolver essa doença?

Qualquer um pode desenvolver a doença de Crohn, a qual se manifesta no mesmo grau em homens e mulheres. No entanto, cientistas suspeitam que ela tenha uma base hereditária, ou seja, que ela passe de pais para filhos, manifestando-se entre os 13 e os 30 anos.

O que causa a doença de Crohn?

As investigações para compreender as origens dessa doença continuam em andamento. Até o presente momento, sabemos que ela tem origem no sistema imunológico, o qual sofre uma alteração incompreensível que ataca bactérias e vírus inofensivos. Durante o ataque, os glóbulos brancos se acumulam no revestimento intestinal. Eles terminam por cicatrizar-se e acumulam-se em nosso intestino, provocando inflamação crônica e lesões.

Sintomas causados pela doença de Crohn

Os sintomas dessa doença dependem da região gastrointestinal que estiver afetada: a boca, o intestino grosso ou delgado, ou o reto. Eles podem aparecer de súbito e logo desaparecer, ou, ao contrário, permanecer dolorosamente durante um tempo mais extenso. Os sintomas costumam ser os seguintes:

  • Dor de barriga; cólicas
  • Cansaço
  • Febre
  • Falta de apetite
  • Perda de peso
  • Dor ao ir ao banheiro
  • Prisão de ventre
  • Inflamação nos olhos
  • Fístulas de pus na área do reto
  • Úlceras bucais
  • Inflamações; dor nas articulações
  • Chagas na pele
  • Inflamação na gengiva

Diagnóstico da doença de Crohn

O seu médico pode dizer quais exames são necessários para se obter um diagnóstico adequado  para não confundi-la com outras, já que os sintomas podem levar a alguns equívocos. Sendo assim, o mais comum é realizar:

  • Exame de sangue
  • Colonoscopia
  • Tomografia computadorizada (TC)
  • Série radiográfica do abdômen (raios-X)

Tratamentos

Normalmente, utilizam-se os seguintes recursos médicos para tratar a doença de Crohn:

  • Medicamentos anti-inflamatórios: para aliviar as inflamações, a dor e a diarreia.
  • Os esteroides: são utilizados durante pouco tempo porque podem causar efeitos secundários graves.
  • Supressores do sistema imunológicocomo a azatioprina, impedindo que o sistema imunológico ataque as partes sãs do nosso corpo.
  • Antibióticos: são usados para tratar a acumulação de bactérias no intestino delgado.

Dieta e nutrição

vitamin-b12

Infelizmente, a alimentação não pode resolver o problema da doença de Crohn, mas pode aliviar a inflamação, a dor e nos ajudar a ter uma melhor qualidade de vida, na medida do possível. Os nutricionistas recomendam o seguinte:

  • Ingerir suplementos de vitamina B12: ajuda a aliviar muitos dos sintomas, evita anemias, inflamações e fortalece o sistema imunológico.
  • Tomar suplementos de cálcio e vitamina D: nos ajudam a realizar melhor as nossas funções básicas.
  • Beber muita água: em poucas quantidades durante o dia.
  • Evitar alimentos ricos em fibra: não são adequados para intestinos inflamados.
  • Evitar alimentos gordurosos, frituras e molhos.
  • Evite os lácteos. São difíceis de ingerir e causam dor.
  • Evitar alimentos que causam gases.