Fluir: um enfoque maravilhoso para combater o estresse - Melhor com Saúde

Fluir: um enfoque maravilhoso para combater o estresse

Dado que o estresse nos coloca em alerta para fugir de uma ameaça, é muito importante que aprendamos a categorizar as coisas e deixá-las fluir. Só assim poderemos desfrutar.
Fluir: um enfoque maravilhoso para combater o estresse

Fluir (ou “flow”, em inglês) é um simples e maravilhoso enfoque para nossa vida diária que nos permitirá, sem dúvidas, enfrentar o estresse e, além disso, tomar plena consciência de nós mesmos para sermos mais felizes.

Mihály Csikszentmihályi, um dos especialistas mais renomados no estudo da psicologia da felicidade, é quem cunhou o termo “flow”.

Graças aos seus múltiplos livros e trabalhos que enfatizam a necessidade de alcançar um estado de calma e “experiências ótimas”, milhões de pessoas conseguiram se sentir mais centradas e relaxadas em seus trabalhos e responsabilidades.

Aqui em nosso espaço, te convidamos a conhecer um pouco mais essa interessante tendência para que, pouco a pouco, a integre em sua vida e desfaça assim o asfixiante nó do estresse. Confira.

Fluir, um estado de calma interior para alcançar a alegria de viver

Para Mihály Csíkszentmihályi a felicidade seria na realidade um estado de “fluxo”. Ou seja, trata-se de alcançar um estado de harmonia interna onde nos encontramos bem com algo em concreto.

Se analisarmos por um momento o que é o estresse, nos daremos conta de que é o contrário de fluir. É ficar amarrado, encalhado e atado a uma série de circunstâncias.

Assim por dizer, nos transformamos de algum modo em reféns dos medos, das responsabilidades ou das preocupações.

  • O estresse nos impede de avançar. Dia após dia nos sentimos ligados às mesmas coisas.
  • O estresse nos faz acreditar que nunca alcançamos aquilo que nos propomos: nos falta tempo.
  • O dia nunca tem horas o suficiente para que alcancemos e cumpramos nossos objetivos.
  • O estresse é processado por nosso cérebro como um estado de ativação que nos prepara “para fugir”, para “escapar” de uma suposta ameaça.
  • Nossa mente deixa de entender o que é a cama e o equilíbrio interno, porque há uma descompensação. Estamos sempre alerta, tensos e nosso olhar centrado no amanhã, no que ainda precisamos fazer.

Tudo isso são claros antagonistas do conceito flow ou fluir, que explicaremos melhor a seguir.

árvore-charmosa

Aprender a apreciar o que você faz

Sabemos que técnicas para combater o estresse existem para dar e vender. Porém, existe uma coisa que não está clara: ninguém pode deixar seu trabalho assim como, ninguém pode se “desconectar” de sua família.

É nesses dois aspectos que quase sempre se concentra nosso estresse, nossas tensões e nossas ansiedades.

Podemos realizar técnicas de respiração, caminhar ou inclusive continuar o tratamento que os médicos nos passam para reduzir o estresse, mas sempre será mais efetivo aplicar um “enfoque mental” que nos permita ver a realidade de outro modo.

Se trataria, então, de aprender a fluir…

  • O movimento “flow” nos indica que devemos focar nas coisas de outro modo, e chegar a desfrutar delas. Se trata, antes de tudo, de “estamos presentes”e desacelerarmos o ritmo. Para isso, é necessário também aprender a estabelecer prioridades.
  • Quem aprende a fluir consegue alcançar um estado emocional positivo e de concentração máxima. Se sente bem com o que faz e, deste modo, liberam muitas tensões e se afasta do estresse.

Te recomendamos também: Caminhar, o melhor exercício para a mente e o corpo

Como começar a “fluir”?

Está claro que não será possível “fluir” da noite para o dia em em nosso trabalho se temos muitas tensões. Assim, o ideal é que comecemos em outras áreas onde seja possível alcançar esse estado de calma.

Assim que conseguirmos, poderemos aplicar em outras áreas de nossa vida. A seguir, damos alguns exemplos de  como fazer isso:

  • Procure por um hobby que te identifique e que você abrace. As pessoas que pintam, por exemplo, conseguem esse estrado de calma e graça de uma forma muito rápida e, além disso, prazerosa.

Pintar quadros, ou desenhar com carvão vegetal e inclusive pintar mandalas é algo que, sem dúvidas, é muito terapêutico. O ideal é que o façamos todos os dias durante pelo menos uma hora.

  • Outra proposta que costuma dar um grande resultado é praticar o que se conhece como “flow ioga”. Esta variedade nasceu na Índia, mas se espalhou muito rápido nos Estados Unidos, até chegar a todo o mundo.

O flow ioga é mais físico e intenso, adiciona sons naturais ou mantras e desenvolve a força, a elasticidade e o equilíbrio. É muito energizante e costuma acabar com um relaxamento final onde nos conectamos com nosso interior.

yoga

Fluir em nossa vida diária

Ao praticarmos atividades como o ioga, pintar mandalas ou qualquer outra tarefa que nos relaxe e nos permita “centrar”, aprendemos pouco a pouco a aplicar este estado de calma em outras áreas.

  • Por sua vez, ao fluir, o que conseguiremos também é deixar de lado aquilo que nos machuca ou que nos impede de avança. Aprenderemos a priorizar.
  • É sempre adequado visualizar nosso dia a dia como essa folha que flutua em um rio levada pelo sussurro relaxante da corrente.
  • Seu avanço é puro equilíbrio, nada sobre e nem falta. Se há excesso de algo, afundará.
  • O estresse, por exemplo, faz com que nos afundemos. Assim, para emergir novamente e avançar é preciso que nos libertemos de tudo o que nos sobra para aprender a ser mais livres, aproveitando nossa viagem em cada momento.

Se esse tema te interessa, não deixe de conhecer mais aspectos em livros como “Fluir, uma psicologia da felicidade” de Mihály Csíksentmihályi.