Gosto de quem sabe que, para ser grande, tem que ser humilde

Gosto de quem sabe que, para ser grande, tem que ser humilde

Ser humilde é saber ser empático e respeitoso e não passar por cima dos outros. Trata-se de um conceito prático e não vale saber apenas a teoria: é preciso dar o exemplo.
Gosto de quem sabe que, para ser grande, tem que ser humilde

Ser humilde é algo mais que uma virtude, é um valor que todos deveríamos praticar e transmitir a nossos filhos. Mas parece que, atualmente, muitos confundem a “grandeza” pessoal com o poder, e é aí que fica vinculado ao egoísmo.

Há um curioso provérbio árabe que comenta que “nascemos sendo criaturas inocentes para, depois, converter-nos em camelos, mais tarde em leões e, finalmente, voltamos a ser crianças”.

O ser humano realiza uma complexa viagem pessoal em que, às vezes, aspiramos adquirir força e poder, a nos tornar “leões”.

Mais tarde, acabamos descobrindo que o autêntico valor reside nessa alma mais inocente que é capaz de ver a vida com um ponto de sabedoria e um grande oceano de humildade.

Não é precisamente fácil aplicar o conceito de humildade em nosso dia a dia. Requer pequenas mudanças e outros enfoques que, sem dúvida, nos permitiriam viver com mais harmonia.

Convidamos você a refletir sobre isso.

Gosto de quem saber ser humilde, quem sabe que ser grande não é passar por cima de mim

Há quem conceba a palavra “humildade” com sentido de carência, de quem segue um voto de pobreza para dar tudo ao próximo.

Outros, por sua vez, podem unir o ser humilde a essa corrente espiritual em que Buda nos lembrava da necessidade de sermos nobres de coração, de nos desapegarmos das coisas materiais.

Também a de não nos apegar às pessoas para sermos mais livres, mais íntegros, mais respeitosos.

Recomendamos ler também: “4 ensinamentos que o budismo nos oferece sobre o amor

Mas, não é preciso buscar explicações complexas para algo tão simples, tão elementar. Porque ser humilde não é ser pobre, nem tampouco ter que estar afiliado a determinada religião, corrente ou prática espiritual.

Trata-se do sentido mais comum: humildade é não se achar melhor do que ninguém.

Humildade é acreditar e praticar a reciprocidade. Acima de tudo, a humildade não se prega, se pratica.

Aprofundemos um pouco mais este conceito.

Mulher humilde segurando flor

Quem prega e não pratica

Todos conhecemos alguma pessoa famosa, políticos ou grandes empresários, que pregam a necessidade de ajudar os desfavorecidos, de compartilhar, de propiciar ambientes mais respeitosos e com mais oportunidades.

  • Pregam grandes virtudes que, mais tarde, não realizam em privado (mão-de-obra barata em outros países e em más condições, exploração laboral ou levar um nível de vida que não se ajusta ao que defendem publicamente).
  • Não precisamos ir aos contextos das esferas altas. A nível pessoal, todos temos esses amigos ou familiares que falam do quanto fazem pelos outros, de tudo ao qual renunciaram…
    Falam de suas grandezas pessoais quando, na realidade, o único que ofereceram é infelicidade a seus parentes mais próximos.

É necessário refletir sobre isso e levá-lo em conta. Cada palavra que digamos em voz alta deve se ajustar a nossos comportamentos. Devemos agir em consciência e com coerência.

Leia também: “Minha consciência tem mais peso para mim que a opinião do mundo todo

Assim, a pessoa humilde de coração é quem de verdade pode “destilar” essa nobreza de atos, palavra e intenção, em que nos sentimos realmente amparados, respeitados e inspirados por seu comportamento.

A humildade pode ser aprendida

A psicologia positiva, liderada pelo psicólogo Martin Seligman, entende e vê na humildade um fator indispensável, capaz de propiciar a felicidade em nossas vidas.

Não podemos nos esquecer de que a psicologia positiva surgiu como uma clara necessidade de aportar ao ser humano algumas estratégias adequadas com as quais construir seu próprio bem-estar.

Durante muito tempo, a psicologia esteve orientada em dar resposta às doenças, a curar o patológico…

No entanto, graças a Martin Seligman, fomentou-se essa necessitada guinada que nos convida a “refletir” sobre a felicidade, a alegria, o otimismo

Coração de pessoa humilde

Tudo isso são dimensões que podemos aprender. Para ter uma vida mais íntegra e com maior equilíbrio, nada melhor do que assumir e praticar determinadas condutas em que está implícita a humildade.

Leia também: Paciência e silêncio, as virtudes das pessoas sábias

Estas seriam algumas estratégias simples:

  • Reconheça seus erros e tenha a maturidade emocional de corrigi-los para propiciar não apenas seu próprio bem-estar e crescimento, mas sim conseguir que, com a sua mudança, também faça chegar a felicidade a quem lhe rodeia.
  • Aprenda a valorizar o que é importante no seu dia a dia. O amor, a amizade, o carinho, o sentido de humor, a empatia ou o fomentar sua curiosidade, darão a você essa felicidade que busca.
  • Não creia que é melhor ou pior do que ninguém, porque o que você conseguirá é que os outros lhe evitem.
  • Aprecie as coisas mais simples e elementares que lhe rodeiam. Olhe para quem está ao seu redor e busque aprender com tudo o que lhe envolve, incluindo aí às pessoas.
  • Seja um bom modelo para seus filhos, ensine a eles a serem humildes, a entender suas emoções, a se conectar com seus semelhantes.