Gripe: um inconveniente do inverno ou uma doença de verdade? - Melhor Com Saúde

Gripe: um inconveniente do inverno ou uma doença de verdade?

A gripe é tão comum no inverno que, não raro, as pessoas não se previnem por acreditar que é uma doença do cotidiano, e esquecem das maiores consequências da doença. De fato, em alguns casos, a gripe se manifesta com alguns sintomas mais leves, como tosse e febre pouco intensa, o que muitos encaram mais como um inconveniente natural da estação. Porém, a piora para um quadro mais grave pode acontecer a qualquer momento.

Atenção redobrada à tosses, espirros e febre, que podem indicar a chegada da doença

Os chamados grupos de risco, que são pessoas com doenças crônicas pré-existente, crianças, idosos e gestantes precisam ter cuidados redobrados, por terem organismos mais sensíveis aos efeitos da gripe e, por isso mesmo sofre complicações da doença. Atenção, nesses casos, é indispensável a qualquer mudança: por exemplo, uma gripe que se instala de uma maneira repentina ou recorrente é sinal de que há alguma coisa errada, e a recomendação é cuidar para que o paciente tenha um acompanhamento médico desde o início.

Sabe-se que o contágio é feito por vias respiratórias – o viris é expelido através do espirro, da fala ou da tosse de uma pessoa doente, por exemplo, na forma de pequenas gotículas como se fosse um aerossol no ambiente – mas por isso mesmo que é recomendado um cuidado maior na higiene pessoal. O vírus tem uma longa sobrevida e pode ficar por tempo indeterminado em mesas, maçanetas e outros locais. Daí a importância do álcool em gel a tiracolo – limpar as mãos constantemente tem quase o mesmo efeito de proteção do que evitar lugares com a saída de ar fechada.

Mas tomar a vacina resolve? A resposta é sim e não – ela é preparada a partir de uma seleção de subtipos de vírus que de alguma forma provocaram um surto de gripe no mundo e que possam por ventura representar perigo de disseminação no inverno a seguir. Por isso, elas são fabricadas para serem aplicadas antes das chamadas “estações de gripe”, ou seja, no inverno. E que quando há o uso de vacinas importadas, por exemplo, elas foram fabricadas antes da estação invernal nos países do hemisfério norte, onde as estações são inversas a nós.

Ou seja, ao tomarmos uma vacina importada no nosso inverno, é preciso ter em mente que ela foi produzida com base nos vírus que representavam ameaça alguns meses antes nestes países, e que agora outros vírus podem estar circulando e para os quais a vacina não foi preparada.

4092914530_97262bd71b

Mas não é só a vacina que pode evitar: hábitos saudáveis são excelentes para evitar o aparecimento da gripe. As pessoas que estão com a saúde em dia, que se preocupam em manter uma alimentação saudável e equilibrada, que respeitam as horas mínimas de sono para manter o organismo forte e que realizam periodicamente atividades aeróbicas diminuem consideravelmente suas chances de adquirir o vírus da gripe.

Imagens oferecidas por USACE Europe District