Não busque finais felizes, seja feliz sem muita história!

Não busque contos com finais felizes, seja feliz sem muita história!

Ao contrário dos contos de fada, na vida real as histórias nem sempre terminam bem. Porém, a magia está em saber aproveitar os pequenos instantes de felicidade
Não busque contos com finais felizes, seja feliz sem muita história!

Ensinaram a todos nós, desde de crianças, que os contos de fada sempre têm finais feliz. É como se o mundo encontrasse sua harmonia na última página, onde tudo chega a um desfecho satisfatório e ideal.

Casais que desfrutam de uma felicidade eterna, problemas que se resolvem e seres maléficos que acabam desaparecendo com um passe de mágica.

Porém, precisamos ter em conta que nem os contos originais de Charles Pierrot e nem os de Christian Andersen eram tão inócuos como os que a Disney mostra. As princesas dos contos originais nem sempre se casavam e viviam em um mar de rosas.

Porém, a mente infantil e também a adulta precisam desse equilíbrio e essa ideia para acreditar que tudo o que façamos sairá bem e que nos trará felicidade, porque não, eterna.

Porém, é necessário que sejamos prudentes, realistas e, antes de tudo, que não idealizemos determinados conceitos como o das relações afetivas. Hoje, em nosso espaço, convidamos você a refletir melhor sobre isso. Confira.

As melhores histórias não precisam ter sempre um final feliz

Temos certeza de que você tem mais de uma lembrança de uma história que, apesar de não ter tido um final feliz, considera que valeu a pena viver ou ter experimentado.

Aquela relação que trouxe tantas lágrimas em sua adolescência, que foi tão difícil superar e que, porém, ensinou tanto… que você ainda hoje guarda na memória como um instante mágico que você gosta de lembrar.

É só um exemplo, porque todos nós temos essas experiências de vida que não saíram como esperávamos, mas das quais não nos arrependemos.

Porque no fim das contas, “as melhores histórias” não têm porque terminar bem para serem maravilhosas.

Seja feliz sem muita história

Ser feliz sem tantos contos de fadas

Tal Ben-Shahar é psicólogo, professor da Universidade de Harvard e um conhecido escritor de sucesso graças aos diversos livros que ensinam às pessoas como serem felizes.

Por mais estranho que pareça, o tema de como dar instrumentos às pessoas para que sejam capazes de alcançar um bem-estar pessoal maior é algo relativamente novo, mas que desde sempre despertou um grande interesse.

  • O próprio doutor Ben-Shahar, com livros como Aprenda a ser feliz é um claro exemplo deste tema e um reflexo de como a população costuma buscar respostas a esses vazios existenciais através dessas publicações e dos enfoques baseados na Psicologia Positiva.
  • O doutor Ben-Shahar enfatiza, antes de tudo, a necessidade de não acreditar em contos de fadas, de não sustentar a falsa ideia de que devemos aspirar por uma felicidade eterna e permanente.
  • A primeira coisa que devemos fazer é não alimentar as grandes expectativas, e ainda menos buscar a perfeição. Trata-se de sermos um pouco mais humildes, realistas e, antes de tudo, sabermos apreciar o que temos agora.
  • Um erro no qual muitas pessoas caem é em focar sua felicidade “no que desejam conseguir” (um amor para a vida toda, uma casa perfeita, um emprego ideal…)
  • Sonhar não é ruim, criar expectativas também não, mas é melhor se fazemos isso na medida certa e sendo prudentes, com os pés na terra.

Os contos (as altas expectativas, as fantasias, os falsos ideais) são nossas próprias prisões de crescimento pessoal. Quando alguém não consegue o que se propôs a fazer, chega à sombra da infelicidade.

Assim… e se nos conformamos com um pouco menos?

Feliz com a vida

Seu melhor momento para ser feliz é agora

Outro erro no qual costumamos cair é focar todos os nossos sonhos e felicidades no dia de amanhã.

Quando eu tiver isso poderei fazer aquilo… Quando encontrar a pessoa perfeita me sentirei completo… Quando eu finalmente tirar férias me sentirei feliz e tranquilo.

  • Este tipo de pensamento não é adequado e nem saudável para o nosso bem-estar emocional. Podemos adiar tarefas, atividades e encontros, mas nossa felicidade nunca deve ser adiada.
  • Sua melhor oportunidade é agora. Ao invés de pensar que será feliz só quando encontrar a pessoa perfeita, tente sê-lo agora com o que você é, com o que tem perto de você.

Você não precisa de ninguém para se sentir bem. Sinta-se bem agora, consigo mesmo.

  • Ao invés de pensar sempre nas férias como o momento em que você finalmente pode encontrar a calma e enfrentar o estresse, busque por instantes de tranquilidade ao fim de cada dia.

 

Será mais terapêutico e ganhará mais saúde.

Para concluir, os contos de fada são um bom recurso literário com o qual incentivamos a imaginação das crianças, mas a mente adulta deve saber que para ser feliz não é adequado desejar essa perfeição mágica que essas obras nos transmitem.

Os grandes momentos nem sempre acabam bem, mas são maravilhosos instantes que merecem ser vividos e, a vida, por fim, se resume aos instantes.