Não consegue emagrecer? Saiba o que pode estar acontecendo

Não consegue emagrecer? Saiba o que pode estar acontecendo

Para encontrar uma solução é muito importante determinar se o seu problema tem origem genética ou é fruto de uma alimentação incorreta. Em algumas ocasiões, o motivo também pode ser uma questão hormonal.
não-consegue-emagrecer

Não há nada pior do que passar a semana inteira mantendo uma alimentação saudável, contando calorias e fazendo atividade física, para subir na balança e não ver nenhuma diferença. Se você não consegue emagrecer, saiba que há alguns fatores específicos que podem ser os responsáveis por sabotar os seus esforços.


É importante lembrar que o peso não é o único indicador de que estamos emagrecendo e conquistando um corpo mais bonito, já que ele flutua diariamente e é influenciado por vários fatores como retenção de líquido, hormônios, ciclo menstrual, etc.

Para acompanhar seu progresso, tire medidas e fotos para comparar o antes e o depois, e veja se as roupas não estão servindo melhor do que antes.

Se, mesmo assim, você não estiver avançando, existem alguns motivos que podem ser os responsáveis por atrapalhar a sua jornada de perda de peso.

Conseguir emagrecer

1. Calorias “escondidas”

Você está realmente atento a tudo o que está comendo? Existem algumas calorias que ficam um pouco “escondidas”, e não nos damos conta de que estão sendo ingeridas. Pense em todas as exceções que você abriu durante a dieta, será que foram tão poucas assim?

Não adianta comer uma salada de folhas e acrescentar um molho gorduroso, ou achar que o suco de frutas (carregado de açúcar) ou o refrigerante que você bebeu junto à refeição não são calóricos. Pouco a pouco, estas calorias vão se acumulando e podem prejudicar a dieta.

2. Pouca água

Quando estamos desidratados, os rins não conseguem funcionar de maneira apropriada, e recorrem ao fígado para obter ajuda. Como o fígado também fica sobrecarregado, uma maior quantidade da gordura que ingerimos é estocada, ao invés de ser queimada.

Outro ponto importante em relação à água é o consumo de fibras. Uma dieta saudável e rica em fibras é ótima para promover o bom funcionamento do intestino, mas se ingerirmos muitas fibras sem beber bastante água, elas podem causar o efeito contrário, resultando em prisão de ventre, inchaço abdominal e sensação de estufamento, que fazem parecer que não perdemos peso.

Por esse motivo, tente beber entre 2 e 3 litros de água todos os dias.

3. Privação de sono

Estudos mostram que, quando não temos uma boa noite de sono, nosso metabolismo se reduz e o organismo queima menos calorias quando estamos em repouso, atrapalhando nossa perda de peso.

Além disso, a privação do sono afeta dois hormônios, grelina e leptina,  que controlam a sensação de fome e saciedade. A grelina informa ao cérebro quando é hora de comer, e o sono faz com que o corpo aumente a produção deste hormônio. Por outro lado, o organismo reduz a produção de leptina, o que é ruim pois é ela a responsável por avisar o cérebro de que estamos satisfeitos e podemos parar de comer.

Dessa forma, não dormir o suficiente pode nos fazer comer mais e sentir mais fome, prejudicando o processo de emagrecimento.

4. Pouca proteína na dieta

Para perder peso, precisamos manter uma dieta hipocalórica, mas é importante analisar que tipo de alimento você está ingerindo. Acrescentar mais proteína à dieta pode ajudar a emagrecer, já que este macronutriente promove a saciedade e previne que o corpo perca músculos ao invés de gordura.

Além disso, gastamos mais energia para metabolizar proteínas do que carboidratos e gordura, aumentando nosso gasto calórico diário.

5. Não comer o suficiente

Fazer dietas muito restritivas com pouquíssimas calorias pode até funcionar a curto prazo, mas conforme o tempo passa, o corpo simplesmente para de perder peso. O mesmo acontece quando cortamos completamente grupos alimentares, como os carboidratos.

Isso ocorre pois o organismo fica “preocupado” com o futuro, por estar recebendo poucos nutrientes e fontes de energia, e reduz drasticamente o metabolismo para se defender.

Além disso, quando ingerirmos carboidratos, o corpo vai estocá-los em forma de gordura, para garantir que terá energia depois, exatamente o contrário do que gostaríamos que ele fizesse.

Dessa forma, é importante comer alimentos saudáveis de três em três horas para manter o metabolismo sempre acelerado, incluindo sempre os carboidratos saudáveis, nossa principal fonte de energia.

6. Estresse

O estresse aumenta a produção de cortisol, que é capaz de estimular o apetite e aumentar os níveis de uma substância química responsável por intensificar o desejo por carboidratos.

Níveis altos de cortisol ainda reduzem o metabolismo e promovem o acúmulo de gordura, principalmente na região abdominal; tudo o que não queremos.

Por esse motivo, dedique alguns do seu dia para relaxar. Pode ser uma caminhada, uma aula de ioga, meditação, qualquer coisa que o deixe mais tranquilo e menos estressado.

Perder barriga e conseguir emagrecer

7. Quantidades exageradas de gorduras saudáveis

Alguns alimentos, fontes de gordura saudável oferecem diversos benefícios para a saúde e devem fazer parte de qualquer dieta balanceada com foco em perda de peso. No entanto, não podemos nos esquecer de que estes alimentos são calóricos, e mesmo que sejam “calorias boas”, ainda são calorias, e podem prejudicar o emagrecimento se forem ingeridas em excesso.

Alimentos como o abacate, azeite de oliva, açaí, amêndoas, nozes, pasta de amendoim e peixes como o salmão e o atum, devem ser consumidos com moderação. Se você almoçou um filé de salmão, por exemplo, prefira uma fruta ou iogurte para o lanche da tarde ao invés de nozes.

O mesmo vale para o abacate; coma no máximo meio por vez, e deixe a segunda metade para outro dia. Use o bom senso e não exagere no consumo, pois as calorias extras podem ser as responsáveis pela dificuldade em emagrecer.