O obscuro segredo da indústria alimentar

O obscuro segredo da indústria alimentar

A comida industrializada invade cada vez mais o mercado e são centenas de alimentos congelados oferecidos aos usuários como uma alternativa “fácil” de preparar suas comidas sem que isso leve muito tempo e oferecendo um sabor relativamente bom para desfrutar em qualquer momento.

A indústria alimentícia nos vende, diariamente, grande quantidade de alimentos através de publicidades enganosas, nas quais não são advertidas as possíveis consequências que esses produtos podem trazer ao nosso organismo quando consumidos de maneira habitual. São muitos os secretos que  a indústria alimentar mundial guarda, com a finalidade de atrair consumidores sem importar o que possam causar à saúde. Entretanto, esses segredos estão sendo revelados pelos investigadores, quem têm encontrado os perigos ocasionados por este tipo de alimentos.

Alimentos altamente perigosos

Uma das chaves do sucesso da comida industrializada é que ela sempre vai ter o mesmo sabor até sua data limite de vencimento. O que não sabemos é que para obter esse delicioso sabor sempre, esses alimentos foram submetidos a uma série de tratamentos químicos nos que são acrescentadas infinidades de conservantes para mantê-los frescos e saborosos o tempo todo.

Gorduras

A maioria dos alimentos industrializados ou processados, por não dizer todos, têm altos conteúdos de açúcares, gordura  saturada, sódio, substâncias químicas e menos fibra do que a recomendada. O consumo frequente desses alimentos pode gerar impactos negativos na saúde que, a longo prazo, podem desencadear doenças como:

  • Colesterol.
  • Diabetes.
  • Hipertensão.
  • Obesidade.
  • Alguns tipos de cânceres.

Entre os alimentos industrializados que representam um risco para a saúde encontramos: biscoitos, achocolatados, iogurtes, pão-doce, gelados, barras de cereal, refrescos, pratos preparados, hambúrgueres, sopa e macarrão instantâneos, manteiga, enlatados, carnes embutidas e, em geral, comidas industrializadas vendidas para comer de maneira quase que instantânea.

Um dos maiores problemas de todos esses alimentos, é que eles perdem nutrientes e aumentam seu número de calorias. Quer dizer, você vai aumentar seu consumo de calorias sem absorver a quantidade necessária de vitaminas e minerais, fundamentais para o correto funcionamento do organismo e a digestão das gorduras.

Acrilamida: um dos principais perigos dos alimentos industrializados

Cancer

A indústria alimentícia  vem fazendo um bom trabalho na hora de convencer os consumidores de que a comida industrializada é sua melhor opção. Os anúncios mostram como é fácil preparar essas comidas e quão deliciosas elas podem resultar, o que gera confiança nos consumidores na hora de adquiri-las.

Entretanto, vários estudos se encarregaram de desmascarar tudo isso de tão bom que pintam os anúncios publicitários e conseguiram alarmar o consumidor sobre os altos perigos de comer frequentemente todos esses alimentos rápidos que as indústrias nos oferecem.

Uma das substâncias altamente perigosas que encontraram os investigadores há um pouco mais de uma década, é uma substância química potencialmente neurotóxica e causadora de câncer chamado acrilamidaEssa substância é gerada quando os alimentos ricos em carboidratos são preparados a altas temperaturas, sejam fritos, cozidos, grelhados ou assados.

Essa substância química é gerada durante a cocção a altas temperaturas, a partir da reação entre os açúcares e um aminoácido chamado asparagina. Entre os alimentos industrializados com essa perigosa substância podemos encontrar: batatas fritas, batatas palha, casca de pão, pão torrado, torradinhas, ou cereais para café da manhã, entre outros.

Os consumidores não estão cientes desses perigos

As grandes indústrias alimentícias fazem grandes campanhas publicitárias para conquistar os consumidores e convencê-los de que os produtos industrializados são uma grande opção. Não obstante, não estão obrigados a advertir aos usuários sobre o perigo que representa para sua saúde o consumo frequente desse tipo de alimentos. Por lei, alguns alimentos devem ter em sua etiqueta uma lista de ingredientes, aditivos e produtos químicos com os quais eles são preparados. Entretanto, em outros casos, por exemplo, não diz que um croissant que se encontra congelado há semanas e estava cheio de aditivos não pode ser vendido como “fresco ao forno”.

Alguma vez você investigou um pouco sobre os compostos do que você come? Certamente, se começar a indagar sobre os componentes dos alimentos industrializados, vai perceber de quão perigosos eles são para sua saúde.