O talco em pó está relacionado com o câncer de ovário?

O talco em pó está relacionado com o câncer de ovário?

Possivelmente todos nós, em algum momento, utilizamos talco em pó ou outros produtos que o contenha. O talco é utilizado em muitas indústrias, pois está presente em cosméticos, em pós para o rosto e, inclusive, pós para o cuidado dos bebês. No entanto, estudos recentes descobriram que o uso excessivo deste tipo de produto está relacionado com o câncer de ovário devido a alguns de seus componentes.

O que é o talco em pó?

O talco em pó é feito principalmente de talco, que é o silicato de magnésio (formado por silício, magnésio, oxigênio e hidrogênio). Em sua forma natural, o talco contém uma substância tóxica chamada amianto que, de acordo com várias pesquisas, poderia causar a aparição de diferentes tipos de cânceres. Desde o ano de 1970, nos Estados Unidos, os talcos em pó estão livres de amianto, graças às normas e regulamentações federais.

Atualmente o talco é utilizado de múltiplas formas pela indústria, já que é um ingrediente base de produtos de cosmética feminina e muitos outros do mercado. Com frequência, o talco é utilizado para absorver o excesso de umidade, mantendo a pele seca e livre de erupções. Graças a esta propriedade do talco, muitas mulheres o consideram um bom produto para a higiene feminina, já que mantém a área íntima seca e livre de maus cheiros.

Cancer-de-ovario

Porém, a Sociedade Americana contra o Câncer adverte, pois várias pesquisas determinaram que pode haver uma relação entre o talco em pó colocado na área genital e a aparição do câncer de ovário. Estes estudos coincidem ao dizer que, ao utilizar o talco em pó nesta área do corpo, este produto pode viajar através do útero, para as tubas uterinas e ovários, e provocar uma inflamação no corpo da mulher, criando um ambiente perfeito para as células cancerosas.

O talco em pó que é aplicado nos bebês também pode causar a aparição de câncer de ovário em uma idade mais avançada, pois as partículas do talco caminham pelo aparelho reprodutor feminino, podendo ficar por anos nos ovários, o que criaria um ambiente ideal para que as células cancerosas originem a doença.

Uma pesquisa realizada em 1971  determinou que foram encontradas partículas de talco em 75% dos tumores de ovário que foram objeto do estudo. Em outra pesquisa, realizada em 8 países diferentes com 19 pesquisadores, foi determinado que existe um risco de câncer de ovário de 30 a 60% naquelas mulheres que utilizam talco em sua zona genital.

Mesmo que a Sociedade Americana contra o Câncer já tenha feito várias advertências sobre o risco de utilizar o talco em pó, por sua relação com o câncer de ovário, a Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA, sigla em inglês) ainda não retirou este produto do mercado ou, pelo menos, não obrigou os fabricantes a colocar uma etiqueta informando do risco que o uso deste produto a longo prazo pode ter, especialmente se utilizado na área genital.

Advertências sobre o uso de talco em pó

Talco-bebes-500x329

Depois de reunir os resultados de várias pesquisas de todo o mundo com relação ao uso do talco em pó, muitas entidades de saúde e inclusive marcas de talco decidiram advertir sobre o uso deste produto.

A Academia Americana de Pediatria já não recomenda o uso do talco para bebês para o tratamento e prevenção da dermatite de fralda. Esta decisão foi tomada após o conhecimento de que o talco pode produzir danos nos pulmões dos bebês e sérios problemas respiratórios.

O rótulo do Talco para bebês da Johnson & Johnson Baby Powder contém a advertência de que o produto somente deverá ser utilizado externamente, e que deve ser evitado o uso sobre a pele lesionada, assim como o contato com os olhos e a zona do nariz porque pode causar problemas respiratórios.

A Coligação para a Prevenção do Câncer propõe que todos os produtos com Talco levem uma etiqueta onde contenha a advertência de sua relação com o aumento do risco de câncer de ovário: “A aplicação frequente de talcos em pó na área genital da mulher aumenta substancialmente o risco de câncer de ovário”.