Palpitações: causas e como tratá-las

Palpitações: por que surgem e como tratá-las

Para evitar as palpitações é muito importante interromper o consumo de todos aqueles elementos que podem influenciar seu surgimento, como o cigarro ou o álcool, que tendem a acelerar as pulsações.
Palpitações

As palpitações do coração são uma sensação desagradável e mais comum do que se imagina.

Experimentá-las não quer dizer que tenhamos algum problema de saúde grave, mas é preciso estar sempre atento.

Um grande percentual das batidas aceleradas não se deve a uma doença cardíaca. Neste artigo falaremos mais a respeito.

O que devemos saber sobre as palpitações?

O-que-saber-sobre-as-palpitações

A definição médica indica que são uma irregularidade ou uma anomalia nos batimentos do coração. A frequência é mais rápida do que o habitual e isso pode ocorrer devido a diversas razões, entre elas:

  • Tipos de atividades cotidianas
  • Excesso de exercícios
  • Fumar
  • Consumir álcool
  • Tomar muito café
  • Consumir drogas
  • Consumir certos tipos de medicamentos
  • Estados de ansiedade ou estresse
  • Problemas congênitos

Os sintomas mais frequentes são:

  • Falta de ar
  • Enjoos
  • Sentir que o coração bate forte
  • Fraqueza
  • Náuseas
  • Desvanecimento
  • Cansaço
  • Dor no peito
  • Desmaios
  • Suor frio

A sensação que se experimenta é estressante porque acreditamos que vamos ter um ataque cardíaco.

É preciso entender que as palpitações são uma consequência da liberação de adrenalina, e por isso ocorrem quando estamos diante de uma situação de medo ou de muita emoção.

Os batimentos cardíacos também podem aumentar quando estamos muito ansiosos por alguma situação ou inclusive quando pensamos na pessoa amada.

Por sua vez, as causas podem ser psicossomáticas e surgirem diante um ataque de pânico ou um iminente perigo. Em algumas pessoas com hipertiroidismo as palpitações são recorrentes.

Quer saber mais? Leia: Como diminuir o cansaço no rosto em 10 minutos

Palpitações

Apesar de não serem um risco para a saúde, quando acontecem vez ou outra ou em situações muito específicas, é preciso avaliar se a periodicidade dos episódios vai aumentando.

Quando ocorrem de forma regular e não como uma exceção, talvez seja bom consultar um médico.

Aqueles que sofrem de palpitações indicam que sentem como se o coração “saísse do peito ou subisse pela garganta” e afirmam que seu tórax dói muito.

Como evitar as palpitações

Como-evitar-as-palpitações

Os bons hábitos ou a maneira como enfrentamos os problemas e as situações adversas da vida podem minimizar as palpitações. Alguns dos conselhos para reduzi-las ou preveni-las são:

  • Analisar os medicamentos que estamos consumindo.
  • Avaliar antecedentes familiares de doenças cardíacas, hipertensão arterial ou derrames.
  • Não fumar.
  • Deixar de consumir álcool e café.
  • Manter um diário onde indicamos os ritmos cardíacos e em que momentos ocorrem as palpitações.
  • Determinar em que situação concreta o coração bate mais rápido.
  • Fazer exercícios de baixa intensidade e sob supervisão médica.
  • Diminuir a ansiedade por meio de técnicas de relaxamento como a ioga ou a meditação.
  • Respirar profundamente.
  • Manter uma vida saudável e uma alimentação equilibrada.

O que fazer diante de um episódio de palpitações?

No mesmo instante em que seu ritmo cardíaco começar a ficar irregular, sente-se e apoie os pés no chão.

O passo seguinte será respirar lenta e profundamente, para que o abdômen se expanda cada vez que o ar entrar nos pulmões. Desta forma os batimentos vão voltando ao normal pouco a pouco.

Não entre em pânico. Outras técnicas interessantes podem ser:

Manobra de valsalva

Trata-se de cobrir o nariz, fechar a boca e exalar (jogar o ar para fora), ainda que não possa soltar o ar por nenhum dos dois lugares. Isso aumentará a pressão no tórax e permitirá que o ritmo cardíaco se restabeleça.

Tossir

Este procedimento também serve para aumentar a pressão no peito. É usado para pessoas com sintomas de pré-infarto e é muito bom para diminuir as palpitações.

Tomar água gelada

Palpitações

Segundo as teorias de por que esta técnica funciona encontramos o fato de que o esôfago, ao receber a água, realiza uma pressão sobre o coração. Também existem pessoas que molham o rosto com água gelada.

Tratamentos naturais para as palpitações

Além dos bons hábitos, seria bom que usássemos algum dos seguintes remédios caseiros para reduzir as palpitações:

Anis

Ajuda a tratar todo tipo de irregularidades cardíacas devido as suas propriedades calmantes. Trata-se de uma planta muito aromática, usada na gastronomia, mas que também serve como remédio em caso de batimentos acelerados.

É recomendável consumir 2 xícaras de chá de anis (pode ser encontrado na forma de bolsinhas de chá, em lojas de produtos dietéticos).

Folhas de abóbora

A abóbora é um remédio caseiro perfeito para tratar palpitações. Usaremos unicamente as folhas, que têm substâncias que acalmam o sistema nervoso. e também podemos preparar um chá:

Ingredientes

  • 1 punhado de folhas da planta
  • 1 litro de água

Preparo

  • Esquente a água com as folhas da abóbora. Assim que começar a ferver, coe e deixe que esfrie um pouco.
  • Adicione uma colher de sopa da infusão em meio copo de água e consuma (no máximo 3 vezes ao dia).

Uvas

Palpitações

Um remédio natural muito eficaz, que ajuda a prevenir qualquer problema cardíaco porque fluidifica o sangue e, ao mesmo tempo, favorece o sistema circulatório.

É melhor do que consumir uma taça de vinho tinto junto às refeições, porque com a uva conseguimos aproveitar todas as propriedades de maneira natural e sem álcool como protagonista. Uma porção dessa fruta por dia ajudará a manter as palpitações afastadas.

Mel

Não há dúvidas de que o mel de abelhas é um fantástico aliado para a nossa saúde. Este alimento medicinal que é usado desde a antiguidade nos oferece milhares de benefícios.

Permite controlar o ritmo cardíaco e evitar os batimentos acelerados. O mel oferece efeitos imediatos sobre este órgão vital.

É aconselhável consumir uma colher de sopa em jejum. Na hora de dormir, podemos tomar a seguinte mistura:

Ingredientes

  •  ½ xícara de água (125 ml)
  • Suco de ½ limão
  • 1 colher de sopa de mel (25 g)

Preparo

  • Esquente meia xícara de água e, quando estiver morna, adicione o suco de meio limão e uma colher de sopa de mel.
  • Beba antes de deitar.

REFERÊNCIAS

http://www.chemocare.com/es/

http://www.home-remedies-for-you.com