Pontos-chave para detectar a fibromialgia - Melhor Com Saúde

Pontos-chave para detectar a fibromialgia

A capsaicina presente na pimenta caiena é um analgésico eficaz de origem natural presente na composição de muitos cremes para tratar dores musculares.

A fibromialgia é uma doença extremamente difícil de ser identificada, pois apresenta sintomas que se assemelham aos de outras condições e sem um exame que possa detectá-la facilmente, até os médicos costumam ter dificuldade em fazer um diagnóstico preciso. 

O tratamento da fibromialgia avançou muito nos últimos anos, e o prognóstico para os pacientes é cada vez melhor. O desafio realmente é diagnosticar a doença, portanto é importante estar informado e entender os principais sintomas para consultar um médico caso você ou alguém que você conhece os estiverem padecendo.

O que é fibromialgia?

A fibromialgia é uma síndrome caracterizada por múltiplos sintomas que geralmente aparecem juntos, incluindo dor generalizada no corpo e também localizada em alguns pontos específicos, diminuição da resistência à dor, fadiga, ansiedade e depressão.

Os sintomas parecem estar relacionados à mudanças na forma em como o cérebro e a medula espinhal processam sinais de dor. A maioria dos pacientes são mulheres entre 25 e 60 anos. As mulheres têm 10 vezes mais chances de desenvolver a doença do que os homens.

fibromialgia-dores

A fibromialgia não pode ser detectada através de exames de sangue ou raios-X, portanto o diagnóstico é baseado somente no exame médico e no relato do paciente.

Muitas pessoas com fibromialgia acabam sendo diagnosticadas erroneamente com outras doenças como síndrome da fadiga crônica, artrite e até depressão. Por esse motivo, é fundamental redobrar a atenção nos sintomas específicos associados a ela.

Principais sintomas

Existem vários sintomas não relacionados e bem diferentes entre si que são característicos de pacientes com fibromialgia:

  • Dor generalizada por um período maior do que 3 meses
  • Protuberâncias musculares e câimbras
  • Ansiedade e depressão
  • Problemas digestivos
  • Boca, nariz e olhos secos
  • Dores de cabeça crônicas
  • Fraqueza e cansaço
  • Dificuldade na concentração
  • Dormência ou formigamento nos dedos e pés
  • Hipersensibilidade ao frio ou ao calor
  • Distúrbios do sono, como insônia e apneia
  • Incontinência urinária
  • Síndrome do intestino irritável

Focos de dor

“Dor generalizada” é um conceito amplo, por isso foram definidos 18 pontos de dor (9 pares) espalhados pelo corpo que estão associados com a fibromialgia. Pessoas que padecem a doença costumam sentir dor quando eles são pressionados, e este é um dos testes feitos pelos médicos na tentativa de detectar a doença.

Estima-se que os pacientes com fibromialgia sentem dor em pelo menos 11 dos 18 pontos, portanto, fique atento se notar sensibilidade extrema ou dores em muitos destes lugares: 

  • Atrás do pescoço: mais especificamente na base, na união das costas com o pescoço
  • Frente do pescoço: na região bem acima da clavícula, em qualquer um dos lados (ou ambos) da laringe
  • Cotovelos: a dor geralmente sente-se no antebraço, um pouco abaixo da dobra do cotovelo, e costuma ir em direção ao lado de fora do braço
  • Quadril: o local exato geralmente é onde os músculos dos glúteos se curvam e se encontram com as coxas
  • Parte inferior das costas: dores nas costas costumam ser comuns para muitos, mas pessoas com fibromialgia costumam senti-las na parte mais inferior das costas, na união com os glúteos.
  • Parte superior das costas: mais precisamente onde os músculos das costas encontram-se com as escápulas
  • Joelhos: as almofadas dos joelhos podem apresentar dor ou se tornar mais sensíveis ao tacto
  • Ombros: geralmente a dor aparece na metade do caminho entre a ponta do ombro e a base do pescoço
  • Tórax: os pontos sensíveis costumam ser a ambos os lados do esterno, a poucos centímetros abaixo da clavícula

Prognóstico e tratamento

Se você ou alguém que você conhece sofre de dores nestes lugares e apresenta também os outros sintomas que mencionamos, como cansaço constante, distúrbios do sono e sentimentos de ansiedade e depressão, consulte um médico para descartar que seja um caso de fibromialgia.

O tratamento inclui medicamentos paliativos, antidepressivos e terapia, porém as mudanças no estilo de vida também podem contribuir muito para a melhora.

Reduzir o estresse, fazer exercícios físicos regularmente, uma alimentação saudável e dormir bem são hábitos extremamente importantes para reduzir os sintomas. Aposte nestas ações simples que, combinadas com a medicação correta, certamente irão contribuir para uma melhor qualidade de vida, com mais saúde e disposição.