Quando eu for mais velha, quero ao meu lado pessoas de coração jovem

Quando eu for mais velha, quero ao meu lado pessoas de coração jovem

Um coração jovem não se prende à idade e sabe que, nesta vida, é preciso aprender a desfrutar as pequenas coisas e aproveitar cada momento ao máximo.
Pessoas de coração jovem

Manter o coração jovem é sinônimo de bem-estar e saúde. Uma forma de conseguir que este órgão se mantenha em magnífico estado é nos rodearmos de pessoas significativas.

Algo que todos sabemos é que envelhecer nem sempre é um processo agradável. Em primeiro lugar, nos tornarmos mais velhos, longe do que defende a escola do otimismo e os amantes do positivismo mais exaltado, nos rouba uma certa qualidade de vida.

Aparece a dor nos joelhos, e o desgaste do quadril limita muitos de nossos planos. Também não podemos nos esquecer do efeito do “ninho vazio”, o instante em que os filhos saem do lar e a casa fica mais silenciosa do que nunca.

Além disso, no instante em que penteamos nossos fios brancos, rugas, e acumulamos uma ou outra doença, pode ocorrer algo ainda mais complexo: a perda do cônjuge.

Podemos envelhecer com dignidade, ser fortes e otimistas, mas os anos deixam sua marca. Por esta razão, não podemos nos esquecer nunca de um dos melhores remédios para o avanço implacável do tempo: nos rodearmos de pessoas de coração jovem.

Falamos dos bons amigos, daqueles que nos acompanham mesmo depois dos 60 ou 70, são fundamentais para a nossa saúde.

Pessoas de coração jovem, nossos aliados na idade avançada

A “terceira época da juventude” pode ser vivida de muitas formas. Assim que chega a etapa em que por fim nos aposentamos, são muitas as pessoas que veem este instante como um momento para aproveitar ao máximo.

Enquanto alguns iniciam suas saídas, suas tardes de baile e reuniões sociais, outros sentem o indiscutível vazio da solidão. Além disso, se somarmos a esta situação alguns problemas de saúde, o estado emocional cai ainda mais.

Segundo um estudo realizado pela Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, o número de interações sociais de uma pessoa idosa e a qualidade das mesmas influencia diretamente a sua saúde e expectativa de vida.

Assim, como todos intuímos, chegar à terceira idade com bons amigos é uma garantia de bem-estar.

A amizade na terceira idade

A amizade na terceira idade é o melhor anti-inflamatório para a artrite. Além disso, um amigo se mostra como a melhor vitamina para desenhar sorrisos nos rostos carregados de rugas decorrentes do tempo.

Ter ao nosso lado pessoas de coração jovem é um privilégio no qual devemos investir desde bem cedo. No entanto, há diversos aspectos que devemos levar em conta.

A seguir propomos refletir sobre estas ideias.

Mulher velha

Durante a juventude, o amor e a amizade chegam a nós de forma simples. Eles aparecem como tempestades de verão intensas e refrescantes que desfrutamos com nossos cinco sentidos. No entanto, assim como vêm, podem ir embora.

  • Tudo muda quando chega a calma do outono, e com ele a primeira maturidade. É aí que sabemos perfeitamente o que queremos e o que não queremos em nossa vida.
  • Chega um instante em que tomamos consciência de que ao nosso lado queremos pessoas nobres, autênticas e ricas em empatia, respeito e reciprocidade.
  • Amadurecer e adicionar anos aos nossos mapas pessoais implica ter feito muitas viagens internas, ter-nos perdido e reencontrado. Fica claro que este é um trajeto íntimo que cada um vive à sua maneira.
  • No entanto, é nesta época que nos damos conta de que investir no presente é investir em nosso destino.

É necessário economizar e focar no que realmente é valioso: o amor e a amizade.

O segredo da autêntica qualidade de vida

Bronnie Ware é uma enfermeira australiana especialista em cuidados paliativos que publicou em 2011 um livro de grande sucesso chamado “Os 5 arrependimentos”.

Casal de velhos

Nele, ela reuniu o que seus pacientes revelavam antes de deixar este mundo, as cinco dimensões que grande parte das pessoas costuma lamentar não ter atendido para, deste modo, ter uma vida mais plena e feliz.

Os cinco arrependimentos principais são os seguintes:

  • Não ter feito o que o coração mandava a cada momento.
  • Não ter expressado o que realmente sentiam em cada instante de suas vidas.
  • Ter trabalhado demais sem priorizar as coisas simples.
  • A maioria das pessoas que estavam a ponto de partir lamentavam não ter cuidado um pouco mais dos amigos, das pessoas de coração jovem que, em um dado momento, ficaram para trás.
  • Além disso, também sentiam pesar por não terem sido mais felizes com as pessoas que amavam.

Como identificar as pessoas de coração jovem

Para as pessoas de coração jovem não importam os anos que levem sobre suas costas. O essencial é o ânimo e a atitude.

Chegar à maturidade avançada de nossas vidas em companhia de pessoas que sempre nos trazem otimismo e vitalidade é, sem dúvida, o melhor dos privilégios.

Rosto de velhos

Além disso, também não podemos nos esquecer de que estes perfis nos oferecem, acima de tudo, apoio.

Eles serão nossa ajuda quando vierem os momentos complicados.

As pessoas de coração jovem irão querer nos tirar de casa. Não irão querer que fiquemos sozinhos, perdidos nas rotinas de um lar. Para eles, segue sendo essencial o ar livre, as risadas, a música… é isso que faz com que se sintam vivos.

Porque no final das contas, as rugas estão na pele, e não no coração; por isso, nunca nos deve faltar vontade de abraçar a vida, seja qual for a idade que tivermos.