Como reconhecer e evitar a manipulação emocional do seu parceiro?

Como reconhecer e evitar a manipulação emocional do seu parceiro?

As emoções são as dimensões que nos fazem humanos; maravilhosas sensações que podem ir da mais tranquila felicidade até a mais desoladora tristeza.  Poucas vezes somos mais vulneráveis quando estamos apaixonados. Neste momento é mais fácil percebermos a famosa manipulação emocional por parte do nosso companheiro.

Como saber se estamos sendo manipulados emocionalmente?

Pode ser que você se surpreenda, mas a manipulação emocional não é tão fácil de identificar. Mas, por quê? Basicamente porque estamos falando dessa dimensão complexa e intensa que é o amor. São muitas as pessoas que confundem, por exemplo, “dominação” com amor: “meu companheiro é ciumento porque gosta de mim”… É, sem dúvida, uma das frases mais comuns e que traz mais problemas a longo prazo. Mas vamos nos aprofundar mais no tema.

1. Amar não é possuir

Existem muitos casais que costumam fazer tudo juntos. Saídas, viagens… É algo muito positivo e até necessário, mas só é bom quando não existe um “controle”. Há quem, por exemplo, não está de acordo com que o seu parceiro saia de casa sozinho, que tenha suas próprias amizades e mais ainda, que tenha seu próprio trabalho e vida profissional.

Temos que ir com cuidado. O amor não se demonstra controlando uma pessoa e muito menos proibindo-a de fazer algo. Nestes casos são muito comuns as frases como: “Você vai sair vestida dessa forma?”, “Por que você vai sair com esse amigo se pode sair comigo?”, ” Se você fizer isso vai estar demonstrando que não me quer. Eu entrego tudo e você não dá valor”.

2. A necessidade de cuidar da nossa autoestima

A manipulação emocional está diretamente ligada à nossa autoestima. Em um relacionamento fazemos tudo ela outra pessoa, a amamos acima de qualquer outra coisa e faríamos tudo por ela. Tudo isso é algo sincero e bom, mas também temos que saber nos proteger. 

Se seu parceiro valoriza mais suas próprias necessidades do que as suas e atua com certo egoísmo, dia a dia você vai sofrer os efeitos e se sentirá pior. A maioria das pessoas concebe o amor como um intercâmbio de afeto e desejos, onde existe um equilíbrio entre o que damos e o que recebemos. Se formos nós as pessoas que damos tudo, nos sentiremos pessoas vazias, manipuladas e com uma autoestima bastante baixa, o que dificultará muito encontrarmos a felicidade nas coisas cotidianas.

3. Quando perdemos pouco a pouco nossa identidade

Pode ser que antes de entrar em um relacionamento, você formava parte de um círculo social que o fazia feliz e você tinha projetos vitais que tentava alcançar dia a dia. Mas, às vezes nos apaixonamos por quem não devemos, tudo isso porque, em muitas ocasiões é algo que não podemos dominar, que ocorre repentinamente e caímos em um carrossel de intensas emoções.  Apesar de existirem pessoas que não são maduras suficientes para estarem em uma relação saudável, elas, ao invés de nos fazer felizes e nos ajudar a crescer como casal, vão tirando nossa identidade.

Proíbem-nos de frequentar determinadas amizades, priorizam suas próprias vontades antes do que as suas, depreciando, inclusive, o que você faz. Subestimam-nos, dizem que somos estúpidos, que não fazemos direito determinadas coisas… Inferiorizam-nos e fazem com que deixemos de ser quem éramos antes: pessoas felizes e cheias de sonhos. 

Como evitar a manipulação emocional

mulher-triste

Para evitar a manipulação emocional devemos ter bem claro nossos limites. Até onde somos capazes de chegar em uma relação? E onde estão nossos limites? No momento em que nos dermos conta de que já somos infelizes. É algo fácil de entender, mas são muitas as pessoas que, apesar de saber que são infelizes, não deixam seu relacionamento. Como isso pode acontecer? Basicamente por esses motivos:

  • Porque apesar de não serem felizes, seguem amando o companheiro. Dar um grande passo desses é sempre complicado e doloroso.
  • Temem a solidão. Medo de ficarem sós.
  • Tem medo, medo de que seu parceiro tome de forma negativa o rompimento da relação.

O que devemos fazer é, basicamente, sermos valentes e consequentes. Pergunte-se se está disposto a passar toda sua vida com uma pessoa que manipula você para seu próprio interesse e benefício e que não o respeita. Pode ser que você não se atreva a terminar a relação, mas nesse momento é importante que você esteja bastante consciente de que esse relacionamento é tóxico, e que é importante colocar numa balança os prós e contras.

Busque apoio. Sua família e seus amigos são pessoas que podem ajudar você a recuperar suas forças que, às vezes, desaparece. Deixar um relacionamento nunca é fácil e sempre causa sofrimento para ambas as partes. Mas lembre-se: todos temos o direito de sermos felizes e você sempre merece o melhor. Merece  acordar todos os dias com horizontes tranquilos e cheios de sonhos e assegurarmos que existem pessoas que podem fazer você feliz e que vão te valorizar de verdade.