O que significa ter as mamas densas? - Melhor Com Saúde

O que significa ter as mamas densas?

Tal como no câncer de mama, desenvolver mamas densas também tem um componente genético. Se este for o seu caso, lembre-se de que você deve se submeter a exames periódicos.

Em nosso espaço falamos muitas vezes sobre a importância de fazer exames ginecológicos periódicos. Um dos objetivos destes testes de diagnóstico é identificar os chamados “seios densos”.

Pois bem, o que significa este termo? As mamas densas contêm menos tecido adiposo e mais tecido glandular, e geralmente corre um risco maior de desenvolver um câncer.

Deve-se esclarecer, em primeiro lugar, que ter as mamas densas não significa que vamos ter um tumor com uma probabilidade de 100%, em absoluto.

Temos um risco maior, e isso, nos adverte que precisamos nos submeter a mais check-ups periódicos, que irão nos ajudar a detectar qualquer problema e indício de tumor.

De acordo com o Journal of the National Cancer esta característica é um fator que todas as mulheres teremos que controlar através de exames médicos. Além disso, é importante evitar este problema, melhorando nossos hábitos de vida desde uma idade precoce.

Vamos explicar.

Os riscos relacionados com os seios densos

Em primeiro lugar, deve-se notar que, à primeira vista, nós não sabemos se as nossas mamas são mais densas que o normal, ou não. A partir dos 40 anos, é recomendável que nos submetamos a uma revisão anual, e depois, quando nos for indicada.

Há momentos em que a mamografia não pode ser vista com facilidade, justamente, devido à elevada densidade da mama, e por causa de uma presença maior de tecido glandular. Esta é a hora de começar a agir.

Leia também: como detectar o câncer de mama

Como indicamos anteriormente, não é para nos alarmarmos, mas para sermos prudentes e seguir cada orientação dos especialistas para monitorar a todo momento a saúde de nossas mamas. E acima de tudo, trata-se de prevenir.

De acordo com William Barlow, do “Centro de Pesquisa do Câncer e Bioestatística” de Seattle (Estados Unidos) para que um peito se torne mais denso do que o normal depende das quantidades de gordura e tecido fibroglandular da mulher.

Quando somos jovens os seios são muito mais fibrosos, mas, à medida que envelhecemos, o tecido adiposo substitui o fibroglandular. E devemos nos submeter a mais controles.

Cabe assinalar também, que algumas mamas densas fazem que seja mais complicado de se identificar um possível tumor em um dos seios. As imagens dos diagnósticos aparecem mais escuras e tornam mais difícil a identificação de alguma anormalidade no tecido.

É por este motivo que os especialistas, nestes casos, complementam a mamografia com uma ultrassonografia. Neste exame, o diagnóstico é mais preciso.

Riscos de desenvolver mamas densas

Cancer-de-mamas-densas

  1. A menopausa: as mamas densas são mais comuns em mulheres na pós-menopausa, que também apresentam excesso de peso e um maior índice de massa corporal.
  2. Componente genético: tal como no câncer de mama, desenvolver seios densos também tem um componente genético. Por isso, se há um histórico de mamas densas ou de câncer de mama em sua família, não hesite em submeter-se a exames periódicos. A informação e a prevenção salvam milhares de vidas todos os anos!

Saiba também como tonificar e dar firmeza aos seios.

Podemos prevenir o desenvolvimento de mamas densas?

Caminhar-para-mamas-densas

De acordo com os médicos, uma maneira de evitar esta doença é através da terapia de reposição hormonal desde a menopausa, especialmente se houver um componente genético.

No Instituto Nacional de câncer, em Bethesda (Estados Unidos) foi realizado um teste com terapia hormonal em mais de 7.000 mulheres com mamas densas.

Embora seja verdade que o simples fato de fazer exames mensais previne o risco de desenvolver um câncer, foi demonstrado que a terapia hormonal pode ser útil em muitos casos (não em todos, mas em um percentual alto).

No entanto, para reduzir o risco na medida do possível “ e evitar desenvolver seios densos no futuro, é vital que você tenha em mente esta informação:

  • Não se esqueça de seus antecedentes familiares: se sua mãe, avó, tia ou irmã sofreram de câncer de mama, é importante se submeter a revisões periódicas.
  • Não fume.
  • Mantenha um peso adequado de acordo com sua altura e idade. Evite acima de tudo, estar acima do peso, especialmente, quando chegar à menopausa.
  • Evite alimentos com alto teor de gordura, o açúcar branco, as farinhas refinadas e o sal. Incendeiam-nos e são tóxicos muito perigosos para o nosso organismo.
  • Consuma frutas e vegetais frescos, especialmente crus. Ou seja, evite os sucos de supermercado, e escolha uma maçã inteira para o seu café da manhã no lugar da clássica torrada com geleia. Na hora de preparar saladas, consuma alguma peça crua, como espinafre, pequenos pedaços de cebola, tomate, etc.
  • Evite alimentos pré-cozidos e se acostume a comer coisas frescas. Lembre-se também que o mais adequado é programar 5 refeições por dia, nada de cometer excessos no almoço ou jantar.
  • Beba muito líquido.
  • O exercício físico é fundamental no dia a dia para reduzir o risco de mamas densas. Todos os dias durante uma hora e meia pratique exercícios aeróbicos.
  • A partir dos 40 anos programe uma mamografia anual. Visite seu ginecologista e, caso você tenha antecedentes familiares, como já foi apontado antes, marque com seu médico consultas mais regulares para ter melhor controle e prevenção.

Leve em conta que, além de fazer exames de diagnósticos como o ERM (exame de ressonância magnética), é importante que nós o complementemos com a ultrassonografia. Se você tiver seios densos, este exame é mais seguro para identificar possíveis tumores.

Lembre-se, a prevenção é sempre o mais importante.