Sinais para detectar um derrame cerebral e como preveni-lo

Sinais que permitem detectar a tempo um derrame cerebral e como preveni-lo

O cérebro é um dos órgãos mais vascularizados do corpo, recebendo 25% do sangue que circula no organismo.
Sinais para detectar um derrame cerebral e como preveni-lo

Por causa disso e da delicadeza de seus vasos, é muito vulnerável a rompimentos ou obstruções, o que pode provocar um derrame, ou Acidente Vascular Cerebral (AVC).

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) afeta cerca de 15 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo a segunda causa de morte em adultos acima de 60 anos.

O que pode provocar um derrame cerebral?

Dor-de-cabeca-e-derrame-cerebral

Às vezes, o derrame pode ser causado por emoções muito fortes, como a raiva, a decepção e o desentendimento com outras pessoas. É por isso que ter um estilo de vida livre de estresse e aprender a manter a calma em circunstâncias difíceis é fundamental para prevenir esse grave problema de saúde.

Quando o fluxo sanguíneo para o cérebro é interrompido por alguma razão, seja por um bloqueio ou pela ruptura de um dos vasos que transportam o sangue, acontece um derrame.

Já que o sangue é responsável por transportar o oxigênio para as células, sem o sangue, as células nervosas morrem, o que pode causar sequelas motoras permanentes.

Quais as possíveis sequelas de um derrame?

Pressao-arterial-e-derrame-cerebral

O tipo de dano causado por um AVC vai depender da região do cérebro em que aconteceu. Por exemplo, lesões no lobo frontal, área do cérebro que corresponde à região da testa, podem causar problemas motores e de fala, entre muitos outros.

Apesar das células cerebrais não se recuperarem naturalmente, com a terapia e tratamentos adequados, é possível minimizar os danos causados pelo AVC e restaurar muitas funções do corpo.

Em muitos casos, também é possível prevenir e detectar a tempo o risco de um derrame, evitando suas trágicas consequências.

Como detectar a tempo um derrame cerebral?

A detecção precoce dos sintomas de um acidente vascular cerebral é muito importante, já que o quanto antes o paciente receber tratamento adequado, menores os riscos de sequelas ou morte.

Possíveis sinais de alerta:

– Dormência súbita ou fraqueza em alguma parte do rosto, perna ou braço. Geralmente, a dormência aparece apenas em um lado do corpo.
– Dificuldade para falar, compreender ou se concentrar.
– Perda da coordenação motora.
– Tontura repentina e dificuldade para caminhar.
– Dor de cabeça intensa sem causa aparente.
– Perda da visão em um ou em ambos os olhos.

Tipos de derrame cerebral

Tipos-derrame-cerebral
O AVC pode ser isquêmico, quando provocado por uma obstrução numa artéria, que impede o sangue de chegar ao cérebro. Estima-se que 88% dos casos são desse tipo.

Os demais 12% correspondem ao derrame hemorrágico, que acontece quando os vasos se rompem, derramando o sangue naquela área determinada no cérebro.

A prevenção é o melhor tratamento para essa condição tão perigosa. Para isso, aconselha-se adotar hábitos de vida saudáveis e evitar o que pode aumentar o risco.

Como prevenir um derrame cerebral?

Ainda que, em alguns casos, os AVCs não possam ser evitados, pois os sinais aparecem de maneira muito súbita, em geral, é possível fazer muito para preveni-los.

1. Controlar a pressão alta

O maior fator de risco para um derrame cerebral é a pressão alta, ou hipertensão. Quem sofre de pressão alta tem quatro vezes mais chance de ter um derrame, pois o coração e a artéria precisam fazer um esforço maior para poder levar o sangue a todas as células do cérebro.

2. Realizar atividades físicas

O exercício físico regular é fundamental para a boa saúde cardiovascular. Assim, você poderá manter as artérias limpas e fortalecer o coração. Mantenha suas artérias desobstruídas também com uma dieta adequada e livre de gordura.

Uma caminhada diária de uma hora é mais que suficiente para a boa saúde. Mas converse com seu médico para saber quais as opções de esportes e exercícios que você pode praticar.

3. Deixar de fumar

O fumo é um dos maiores fatores de risco do AVC, sobretudo quando o hábito de fumar começou cedo.

4. Controlar os níveis de colesterol

Nivel-de-colesterol-e-derrame-cerebral

O colesterol, assim como o fumo, aumentam muito o risco do acúmulo de placas nas artérias, o que pode levar a obstruções que bloqueiam a chegada de sangue ao cérebro.

5. Eliminar o excesso de peso

Estar acima do peso aumenta o risco de ter problemas do coração. Ao adotar uma dieta balanceada e fazer exercícios, esse problema também deverá desaparecer, trazendo muitos benefícios.

6. Evitar o estresse

Sofrer de estresse crônico físico e mental pode aumentar até quatro vezes o risco de sofrer um acidente vascular cerebral ao longo da vida.

7. Evitar a ira ou emoções fortes

controlar-la-ira

O medo, a raiva intensa, o furor e a ira alteram a circulação sanguínea, muitas vezes, elevando a pressão em áreas importantes do nosso corpo, pondo em risco o sistema nervoso e o coração. Manter um estado de espírito tranquilo e positivo é a melhor forma de diminuir os riscos.

8. Controlar o diabetes

O diabetes tipo 2 geralmente traz problemas circulatórios e pode aumentar o risco de hipertensão e de derrames.

9. Comer gorduras saudáveis

O ômega 3 é uma gordura saudável que protege o coração e o sistema circulatório. Pode ser encontrado em peixes, como o salmão e a sardinha, entre outros alimentos.