"Síndrome do coração partido": cardiomiopatia na mulher

“Síndrome do coração partido”: cardiomiopatia na mulher

síndrome do coração partido

Síndrome do coração partido. Não é um termo poético, em absoluto. Estamos falando de um tipo de cardiomiopatia que, segundo os médicos, afeta quase exclusivamente as mulheres. Também é conhecida como “cardiomiopatia de Takotsubo”, é provocada principalmente pelo estresse e causa alguns outros sintomas que você deve ter em mente.

Hoje, em nosso espaço, convidamos vocês a conhecer tudo sobre esta condição, para a sua saúde e sua tranquilidade. Se você for uma pessoa habituada a ter muitas responsabilidades e passar por etapas de muito estresse e ansiedade, descubra conosco estas importantes informações às quais devemos estar sempre atentas.

Sofrer um desengano, a perda de um ente querido ou conviver com o estresse cotidiano que vamos acumulando dia a dia são situações que nos colocam à beira de um ataque cardíaco. Temos que esclarecer, em primeiro lugar, que apesar de ser uma “falha cardíaca”, suas consequências não são tão graves quanto às de um infarto do miocárdio.

A cardiomiopatia de Takotsubo é uma doença não muito conhecida. Ela foi descrita pela primeira vez nos anos 90, no Japão, e possui esse nome porque nesse tipo de cardiomiopatia, o coração costuma se deformar de um modo muito similar às vasilhas que os pescadores nipônicos utilizam para caçar polvos. Curioso e ilustrativo, não há dúvida.

Emoções negativas, como a tristeza, o sofrimento ou o fato de viver com o estresse crônico fazem com que o ventrículo esquerdo do coração se deforme ligeiramente, causando assim um estreitamento das artérias coronárias. Sofreremos com uma dor, um tipo de sufocamento muito característico, mas é importante dizer que a mortalidade costuma ser bastante baixa, cerca de 5%. Ainda assim, segue sendo um problema cardíaco que devemos conhecer.

O que causa a síndrome do coração partido?

coracao

Segundo os médicos, 90% das vítimas desta condição são mulheres que passaram por episódios de estresse elevado. É importante considerar que estas situações causam muitas alterações a nível metabólico em nosso organismo. São liberadas grandes doses de catecolaminas, as quais, quando alcançam níveis muito altos, são diretamente tóxicas para o coração.

O estresse, a ansiedade e situações de choque emocional fazem com que, em um momento determinado, também possamos sofrer com um aumento de adrenalina.

O que sentiremos é uma falta de ar e uma sensação de asfixia. É uma insuficiência cardíaca congestiva, que pode ser identificada facilmente em um eletrocardiograma, e é muito similar a um infarto agudo do miocárdio, mas com consequências menos graves.

Que sintomas apresenta a síndrome do coração partido?

cansaço

  • Os sintomas podem aparecer imediatamente, principalmente após sofrermos algum tipo de impacto emocional. A primeira coisa que sentiremos é uma dor muito forte no peito, uma espécie de queimação que nos impede de respirar com normalidade.
  • O suor frio e a dor no braço esquerdo também são muito característicos. São sintomas muito similares a um infarto de miocárdio normal.
  • Os sintomas anteriores são característicos de situações em que, após uma má notícia ou algo similar, nosso coração reage frente a esta elevação das catecolaminas e da adrenalina, que podem danificá-lo. No entanto, também temos que levar em conta as situações cotidianas onde as emoções negativas vão se acumulando dia após dia e, aos poucos, vão prejudicando a saúde do coração. Que sintomas são os que nos dão pistas de que algo errado está ocorrendo? Fique atenta a um cansaço injustificado e à falta de ar em situações normais, como subir um lanço de escadas. A dor na mandíbula ou nas costas também pode indicar que nosso coração está bombeando sangue com mais força do que deveria. Vale a pena ficar atenta também se você sentir muito sono durante a tarde e se as pernas incharem.

É possível prevenir a cardiomiopatia do coração partido?

emocoes

Os dados já devem nos deixar de sobreaviso. Por que este tipo de condição afeta principalmente as mulheres? Os especialistas nos dizem que as mulheres são quem mais sofrem com os efeitos do estresse. Os homens, por outro lado, os experimentam em menor medida, mas não os controlam muito bem. Por isso eles têm uma maior probabilidade de sofrer um ataque cardíaco e falecer por causa dele.

As mulheres costumam somatizar o estresse em forma de dor de cabeça, dores musculares e articulares ou pequenas lesões cardíacas, como a cardiomiopatia de Takotsubo. No entanto, temos estratégias melhores do que os homens para enfrentar situações de ansiedade e estresse. Você quer saber porque?

  • Nossa capacidade de comunicação é melhor. Podemos expressar em palavras nossos pensamentos, sensações e problemas. Falar com alguém nos alivia e o fazemos com mais facilidade do que os homens.
  • Somos mais sensíveis e mais intuitivas. Isso supõe que, perante um problema, temos a capacidade de enfrentá-lo sob diferentes pontos de vista. Entretanto, é certo que, para conseguirmos fazer isso, é necessário termos vontade, otimismo e motivação.
  • Controle os problemas do seu dia a dia e nunca os acumule. Há momentos em que as mulheres têm que lidar com muitas responsabilidades: o trabalho, os filhos, familiares que dependem de nós… Quase não sobra tempo para nós mesmas. Em algumas situações, isso nos sufoca e pode nos fazer um pouco infelizes. Tente fazer pequenas mudanças na sua vida, convencendo-se de que você merece ser feliz. Cuide-se um pouco mais!