Sinusite

A sinusite é uma doença completamente tratável, especialmente se for detectada a tempo. Provoca dor, dificuldade para respirar e outros incômodos

A sinusite é a inflamação dos seios paranasais. Estes são dois pequenos espaços ocos por onde passa o ar que circula entre os ossos do nariz. Dividem-se em três grupos: seios frontais, seios etmoidais, seios esfenoidais e seios maxilares. 

Se tudo estiver normal, o ar se desloca sem problema através destas cavidades. Por outro lado, quando os seios paranasais se inflamam surgem dificuldades para respirar e outros incômodos como uma dor que ás vezes por chegar a ser muito intensa.

Se os seios paranasais estão saudáveis não existe presença de bactérias ou outros microrganismos. Neste caso, o muco sai e flui até o nariz sem problema. Se este se acumula ou se existe algum bloqueio das aberturas paranasais, cria-se um caldo de cultivo para diversos tipos de microrganismos. Isso termina dando lugar à sinusite.

A origem da sinusite

A secreção excessiva de muco e/ou o bloqueio das aberturas paranasais tem diversas origens. As mais frequentes são as seguintes:

  • As alergias e resfriados, que contribuem para a produção de um maior volume de muco
  • Os salientes ossos anormais no nariz
  • O desvio de septo
  • Presença de pólipos nasais
  • Afecção nos cílios (ou pelos localizados nas aberturas paranasais), os quais não conseguem retirar o muco
Mulher com resfriado e sinusite

Existem alguns fatores de risco associados que contribuem para a produção da sinusite ou, em todo o caso, facilitam que seja originada. Os principais são: sofrer com fibrose cística, rinite alérgica, ter o sistema imune debilitado, apresentar hipertrofia de adenoides, se submeter a pressões físicas ou a força da gravidade, e finalmente ao hábito de fumar.

Tipos de sinusite e sintomas

Existem vários tipos de sinusite que se diferenciam em função do tempo de duração. Basicamente se distinguem quatro classes:

  • Aguda – Dura até 4 semanas
  • Subaguda – Dura de 4 a 12 semanas
  • Crônica – Dura mais de 12 semanas
  • Recorrente – Apresenta-se como vários ataques durante um mesmo ano

Existem alguns sintomas que são comuns a todos os tipos de sinusite. Os mais importantes são:

  • Perda do olfato ou mau hálito
  • Tosse, mais intensa durante a noite
  • Fadiga
  • Sensação de mal-estar
  • Dor de cabeça
  • Sensação de pressão interna na zona que rodeia o nariz
  • Dor atrás dos olhos
  • Dor de dente
  • Sensibilidade no rosto
  • Congestão nasal
  • Coriza
  • Dor de garganta

Na sinusite aguda os sintomas aparecem sete dias depois de ter contraído um resfriado. No caso da sinusite crônica, todos os sintomas são similares. No entanto, tendem a serem mais leves e apresentam uma maior duração.

Diagnóstico da doença

O mais comum é que no início se faça um diagnóstico a partir de uma inspeção dos seios nasais. O médico projeta uma luz sobre esta zona, em busca de pólipos ou sinais de inflamação. Também é frequente que seja aplicada pressão sobre a área para verificar se existe dor ou não. A presença de dor sugere que existe sinusite.

Placa de pessoa com sinusite

Para realizar um diagnóstico certeiro, em geral são indicados algum ou vários dos exames clínicos: rinoscopia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética. As radiografias dificilmente produzem um resultado confiável.

O médico também pode solicitar outros exames complementares como: cultivo nasal, citologia nasal, exames de sangue para avaliar o funcionamento do sistema imune e exames para alergias, função ciliar e fibrose cística.

Prognóstico e complicações

A sinusite tratada a tempo tem, em geral, um prognóstico muito favorável. Se for seguido o tratamento adequado e são mantidos os cuidados necessários, normalmente o paciente consegue melhoria total. Se aparecerem episódios recorrentes, é sinal de que não foi erradicada a causa da doença.

As complicações da sinusite não são frequentes. No entanto, se aparecerem, devem ser assumidas com muito cuidado, já que podem chegar a ter um curso perigoso. As mais frequentes são:

  • Crise de asma que se deriva de uma sinusite crônica
  • Dificuldades na visão. Origina-se quando a infecção se espalha para o olho e em alguns casos dá lugar à perda de visão e até mesmo cegueira
  • Coágulos de sangue ou aneurismas. A sinusite pode afetar as veias que estão ao redor dos seios paranasais. Nestes casos, interrompe-se o fluxo de sangue e aparece o risco de sofrer um derrame cerebral
  • Tem lugar quando a inflamação avança em direção ao cérebro

Outras complicações menos frequentes são a infecção óssea (osteomielite) e as infecções cutâneas na zona que rodeia os olhos. Todas as complicações devem ser tratadas rapidamente, em um centro de saúde.

Recomendados para você