Sou uma mulher que já não precisa demonstrar nada - Melhor Com Saúde

Sou uma mulher que já não precisa demonstrar nada

Chega o momento em que já não precisamos demonstrar nada. Aqueles que nos amam o farão aceitando nossas virtudes e defeitos e não colocarão empecilhos para nossa felicidade 
Sou uma mulher que já não precisa demonstrar nada

Estamos certos de que você também é essa mulher valente, enérgica, mas de coração tranquilo, que já não precisa demonstrar nada a ninguém porque já sabe quem é.

Porque já sabe tudo o que vale.

Assim como costumam dizer, as pessoas nobres chegam a este mundo para “ser” e para “deixar ser”, e o fazem sem perder-se a si mesmas nos outros e, por outro lado, deixando que os outros sejam livres em seus caminhos, essências e liberdades.

Chegar a ser aquilo que de verdade sentimos, sem pressões alheias, sem medo às críticas ou sem o temor de ficarmos sós por termos voz e desejos próprios, é algo que custa alcançar. Não é fácil.

Hoje em nosso site convidamos você a refletir sobre isso e a, caso já não o tenha feito, caso não tenha dado o passo para aquela libertária liberdade pessoal, o faça.

Sei quem sou, sei o que quero. Não preciso demonstrar nada

Quantas vezes você chorou em silêncio por cada uma de suas renúncias, pelas decepções vividas ao lado de pessoas que, mesmo o machucando, diziam que a amavam, que era tudo para elas.

  • A família ou nossos parceiros podem nos levar a situações extremas que nos colocam entre a espada e a parede.

As chantagens emocionais, as repreensões ou mesmo a obrigação de agradá-los nos afasta de nosso próprio ser. Afeta nossa autoestima.

  • Quando nossa autoestima se vai, perdemos tudo. É como perder o horizonte, como deixar de ver a luz em nossos dias, é deixar de se reconhecer, de lembrar nossos gostos, nossos valores.

Recomendamos a leitura de: “a magia de ser mulher depois dos 40”

No momento que dizemos para nós mesmas “basta” e “o ponto final é aqui”, vem rapidamente aquela sensação de tranquilidade de espírito que nos permite focar. Encontrar o equilíbrio.

  • O equilíbrio pessoal está em deixar de lado a necessidade constante de demonstrar as coisas.

De oferecer amor sem receber nada, de esboçar um sorriso quando o que sentimos é dor, de demonstrar que somos o que os outros esperam, quando na verdade somos o oposto.

Mulher que já não precisa demonstrar nada

 

Goste de mim pelo que sou, é a única coisa que peço

Na verdade, se pudéssemos definir o amor de alguma forma, seria a seguinte: é a busca de uma conexão emocional com outra pessoa onde viramos uma parceira sem deixar de sermos nós mesmas.

É construir uma relação que nos ofereça segurança, felicidade e crescimento pessoal.

  • O amor nunca deve nos obrigar a demonstrar nada do que não somos. Se mandarem você a ser solícita, que cumpra cada desejo, que se encaixe naquele modelo de “mulher” que a pessoa tem em mente, então essa relação não é sincera nem saudável.
  • O amor autêntico e maduro nos ama pelo que somos e reforça cada um dos nossos valores, nossos sonhos e pensamentos. Não existe vulnerabilidade, e sim um espaço comum de respeito e crescimento.

Descubra também os 5 pilares para nos curarmos como mulher

Se não a querem como você é, por suas opiniões, por suas virtudes e inclusive por seus defeitos, então deverá tomar alguma decisão.

Mulher com passaros que já não precisa demonstrar nada

Sou a dona dos meus dias e dos meus desejos

Talvez você tenha vivido durante muito tempo submetida aos desejos dos outros, aos caprichos alheios, as vontades que se afastavam por completo de sua essência.

Mesmo que fique claro que nenhuma de nós poderia ser verdadeiramente livre, algo de que temos direito a desfrutar é, antes de tudo, a paz interior. 

  • Sempre chega um momento em nossa vida no qual, por fim, tomamos consciência do que é importante.

Já estamos cansadas de “encaixar”, de dizer que sim quando queremos dizer não, de alongar as coisas um pouco mais para ver se melhoram.

No final, chega um dia que simplesmente nos cansamos. É então que se inicia o motor da mudança e dizemos a nós mesmas “basta de demonstrar aquilo que não somos”.

  • Já não vou demonstrar complacência quando alguém faça algo que me incomoda. Não vou me calar ante algo que me chateia ou me machuca.
  • Já não vou fingir que gosto de todo mundo somente “para me encaixar”.
  • Já não vou tentar ser a mulher perfeita, a esposa perfeita ou a mãe perfeita. Tenho direito de dizer “Hoje não posso mais”, “hoje vou tirar um dia para mim”, “hoje preciso que você me apoie assim como sempre fiz contigo”.
  • Já não vou aparentar estar alegre perante o mundo quando o que sinto é tristeza. 

Tenho direito de me curar, de abraçar meus demônios para compreendê-los e depois sair fortalecida deste processo. Tenho direito a mudar “minha pele” quando achar necessário.

Mulher meditando

Você tem a obrigação de se curar como mulher e ser você mesma, sem ataduras, sem a obrigação e o dever de fazer todos felizes quando você já não é.

Você pode e deve dizer basta. Você merece seus espaços e essa liberdade que precisa para alcançar seus próprios sonhos.