O que você deve saber antes da mastectomia?

O que você deve saber antes da mastectomia?

A extirpação do seio ou mastectomia, pode ser obrigatória em alguns casos de câncer de mama, por isso o fator psicológico desempenha um papel fundamental para que a mulher se adapte ao novo estado.

Há ocasiões em que o câncer de mama traz como consequência uma mastectomia. Não é a primeira opção, mas às vezes é a única que poderia salvar uma vida.

Para entender bem do que se trata é necessário saber que trata-se da extirpação cirúrgica de um seio ou parte dele.

Escrever ou ler isso é muito fácil, mas passar pelo processo completo, não. Por isso é importante mudar drasticamente a percepção sobre o tratamento do câncer de mama. É preciso saber que uma mastectomia é uma mudança de vida muito grande.

Ultimamente algumas mulheres que nem sequer foram diagnosticadas com câncer de mama decidem se submeter a essa operação de forma preventiva.

Ainda que não seja ruim fazê-lo, porque é uma decisão muito pessoal, não é necessário caso a mulher não tenha um histórico familiar generalizado ou uma mutação genética que aumente seus riscos.

Isso é o que é preciso considerar antes da mastectomia:

1. É fisicamente diferente para cada pessoa

efeitos-da-mastectomia

A dor pode ser mais forte em algumas pessoas do que em outras. Dependendo de seu organismo, você pode se deparar com uma recuperação mais lenta do que usualmente, que costuma ser de 12 semanas.

Realmente é seu corpo quem decide se você vai voltar ou não à sua rotina regular antes ou depois do tempo esperado.

Então a mulher tem de se preparar para, depois da mastectomia, ter de pedir ajuda aos mais próximos a cada instante. Por isso é importante que tenha certeza de que alguém poderá dar esse suporte.

As duas primeiras semanas depois da cirurgia são as mais complicadas. Essa cirurgia, inclusive, afetará a mobilidade em coisas simples, tais como abrir uma garrafa ou pentear o cabelo.

É muito normal chegar no momento de fazer a mastectomia com medo devido à dor que ela pode causar. É preciso ter em mente que algumas mulheres não experimentam uma dor tão grande. De fato, algumas não sentem nada depois da cirurgia.

Há quem simplesmente sinta uma espécie de pressão e nada mais.

2. A mastectomia pode apresentar complicações

Mastectomia

A mastectomia é uma cirurgia como qualquer outra, por isso é importante mentalizar de que é possível trazer complicações para seu corpo e sua saúde.

Algumas pessoas não sentem que a cirurgia tenha sido um problema, em comparação com o resto de inconvenientes que a mastectomia trouxe como consequência.

Um desses inconvenientes é que a respiração pode se tornar superficial por causa da dor, e a paciente pode chegar a desenvolver uma pneumonia por falta de filtragem nos pulmões. É preciso se cuidar muito nos dias posteriores à cirurgia, porque é quando há um risco maior de infecção.

Outra consequência é a prisão de ventre. Ela é produto da falta de consciência sobre a anestesia e os narcóticos para a dor.

Esses medicamentos podem fazer com que você termine por passar uma noite na sala de emergência porque não consegue ir ao banheiro já há cinco dias.

É importante conversar com o médico para que dê algumas sugestões do que tomar. Uma alimentação rica em fibras é de muita ajuda.

3. A reconstrução é uma opção

reconstrução-apos-mastectomia

Falar da reconstrução após uma mastectomia é um tema delicado que depende das necessidades de cada mulher.

Algumas pessoas não fazem a reconstrução por decisão pessoal, já outras a veem como algo fundamental para que fiquem em paz com seu corpo novamente.

Ainda que os seios sejam muito bonitos, algumas mulheres sofrem no processo de reconstrução. Outras se sentem livres das dores nas costas quando seus seios eram grandes e decidem não fazer a reconstrução.

Em todo caso, antes de decidir passar por uma reconstrução é importante analisar suas reais necessidades.

Fale de suas preocupações e não tenha medo da mastectomia

A mastectomia é um passo muito importante que dará em sua vida, por isso você não deve sentir medo e nem tomar uma decisão às pressas.

Fale com seu médico e, se for necessário realizar o procedimento, assegure-se de conhecer bem tudo o que ele representa e não fique com nenhuma dúvida a respeito antes de decidir se submeter à intervenção.